Fórumcast #19
30 de junho de 2016, 14h34

Djamila Ribeiro toma posse como secretária-adjunta de Direitos Humanos e é aplaudida de pé pelo auditório lotado

Secretária já estava executando suas funções no cargo da prefeitura de São Paulo há mais de um mês. Em seu discurso ela lembrou a importância de mulheres negras ocupando espaços de poder

Por Beatriz Sanz

Na noite da última quarta-feira (29) tomaram posse em uma cerimônia simbólica a secretária-adjunta de Direitos Humanos, Djamila Ribeiro, e a coordenadora de Políticas para a Juventude, Gabriela Vallim. Ambas já vinham desempenhando suas funções nas secretarias da prefeitura de São Paulo há mais de um mês.

As duas tem um histórico de militância nas questões raciais e de gênero. Djamila é Mestre em filosofia pela Unifesp e colunista do site da Carta Capital. Gabriela, por sua vez, iniciou na militância através do movimento estudantil.

Ao serem chamadas ao palco, as duas foram ovacionadas de pé pelos presentes no auditório da Galeria Olido. O prefeito Fernando Haddad estava na celebração e parabenizou as duas pelas conquistas. Em sua fala, o prefeito lembrou das cotas raciais que instituiu no serviço público e que trouxe uma maior diversidade para o quadro de funcionários públicos municipais.

Veja também:  Braço direito de Paulo Guedes censura e demite jornalista por críticas a Jair Bolsonaro

No discurso de posse, Djamila lembrou que o racismo estrutura todas as relações sociais no Brasil e que a situação é mais difícil para as mulheres negras. “nesse país nós fomos colocadas em um lugar de subalternidade ou de erotização, como se não pudéssemos ser outras coisas”, ressaltou.

Além disso, a secretária lembrou que as mulheres negras são afastadas do poder por conta da conjuntara política e que, por isso, a reforma política tem que ser pauta do movimento negro e do movimento feminista também.

Foto de Capa: Beatriz Sanz


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum