Fórum Educação
21 de janeiro de 2020, 17h51

“É um absurdo”, diz conselheiro do Human Rights Watch sobre denúncia contra Glenn

Toda pessoa que se diz democrata, seja de esquerda, centro, o que for, tem o dever cívico de repudiar esse ato", declarou o advogado Augusto de Arruda Botelho

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O advogado Augusto de Arruda Botelho, fundador do Instituto Direito de Defesa (IDDD) e conselheiro da Human Rights Watch, criticou a ação do procurador do Wellington Oliveira, pró-Moro, contra o jornalista Glenn Greenwald. Para ele, a denúncia apresentada pelo MPF é “absurda” e deve ser rechaçada.

“Eu não costumo me manifestar sobre questões jurídicas sem ler o tema. Agora já li a denúncia contra o Glenn Greenwald, posso afirmar com todas as letras: É UM ABSURDO”, disse Botelho.

O advogado ainda declarou que repudiar a ação é um “dever cívico” de toda pessoa que se reconhece como democrata. “Toda pessoa que se diz democrata, seja de esquerda, centro, o que for, tem o dever cívico de repudiar esse ato”, afirmou.

Pelas redes sociais, diversas figuras da cena política criticaram a atuação do MP no episódio. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), saiu em defesa de Glenn e disse que “jornalismo não é crime”. Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff também criticaram Oliveira e disseram que houve um atentado contra a liberdade de imprensa.

Posição do The Intercept

Em nota publicada nesta tarde, o The Intercept considerou que o MP adotou um papel “claramente político” e denunciou uma tentativa de cerceamento de liberdade de expressão. “Nós do Intercept vemos nessa ação uma tentativa de criminalizar não somente o nosso trabalho, mas de todo o jornalismo brasileiro. Não existe democracia sem jornalismo crítico e livre. A sociedade brasileira não pode aceitar abusos de poder como esse”, disse o veículo.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum