Fórumcast #20
27 de abril de 2016, 21h34

Em ato de insurgência a Cunha, Erundina senta na cadeira da presidência da Câmara

Com o intuito de barrar mais uma manobra do presidente da Câmara dos Deputados, Erundina (PSOL-SP) e outras parlamentares ocuparam a mesa do plenário e obrigaram Cunha a suspender a sessão.

Com o intuito de barrar mais uma manobra do presidente da Câmara dos Deputados, Erundina (PSOL-SP) e outras parlamentares ocuparam a mesa do plenário e obrigaram Cunha a suspender a sessão. Deputadas o acusam de atropelar uma votação de criação de comissões da Mulher, do Idoso, da Criança e do Adolescente, da Juventude e Minorias. “Não queremos que nossas questões sejam decididas por homens”, disse a psolista

Por Redação

Sob a liderança da deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP), deputadas federais se rebelaram, na noite desta quarta-feira (27), contra o que consideram mais um golpe do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Aos gritos de “é golpe!”, Erundina sentou na cadeira de Cunha e ocupou, junto com outras parlamentares, a mesa do plenário, obrigando o presidente a suspender a sessão.

De acordo com a psolista, Cunha queria criar uma comissão de mulheres sem ter discutido os termos desta comissão com a bancada feminina, o que colocaria em risco “conquistas históricas” das mulheres.

“Para interromper esse golpe e impedir que fossem decididas questões de nosso interesse sem a nossa participação, viemos para cá. Estamos submetidas a decisões de homens, não queremos que nossas questões sejam decididas pelos homens. Pelo menos discutam conosco. Isso não é justo e não vamos permitir”, disse a deputada.

Veja também:  Estudo mostra que golpe reduziu investimentos na Petrobras e deixou 33 mil desempregados em Campos

Pelo Facebook, seu correligionário, o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ), elogiou a atitude e ironizou.

“Em tempo: Erundina ficou muito bem naquela cadeira”.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum