Fórum Educação
31 de março de 2020, 18h46

Em editorial, The Guardian diz que Bolsonaro é “um perigo para os brasileiros”

Tradicional jornal britânico destaca que "o presidente está destruindo as tentativas de seu país de conter a disseminação do coronavírus" e adota postura ainda mais baixa que o de costume

Foto: Reprodução/The Guardian

O The Guardian, renomado jornal do Reino Unido, publicou hoje um editorial em que critica duramente a postura de Jair Bolsonaro diante da pandemia do coronavírus. A publicação afirma que o presidente é “um perigo para os brasileiros” e “está destruindo as tentativas de seu país de conter a disseminação do coronavírus”.

O editorial começa destacando que muitas autoridades e setores da sociedade estão empenhados em conter a transmissão no Brasil, enquanto Bolsonaro caminha na direção contrária das medidas, adotadas em todo o mundo.

“Grande parte do Brasil está encerrada. Governadores impõem quarentenas rigorosas. O ministro da Saúde pede às pessoas que fiquem em casa, alertando que, a menos que a transmissão seja reduzida, o sistema de saúde entrará em colapso até o final de abril. Até gangues de traficantes fecham favelas para impedir a disseminação do coronavírus. Enquanto isso, um cidadão desrespeita as restrições e sai para passear no mercado local. Facebook e Twitter removem suas postagens por divulgar remédios não comprovados e atacar o distanciamento físico. Um homem normalmente não pode causar muitos danos. Infelizmente, este é o presidente”, publicou o The Guardian.

Para o jornal, o comportamento do presidente tem sido “vergonhoso” desde que assumiu, com ataques a minorias, direitos humanos e ao ambiente, mas que suas respostas ao coronavírus são ainda mais baixas e teriam atingido “novos níveis de profundidade”.

A publicação enumera os absurdos, como chamar a Covid-19 de “apenas uma gripezinha”e que a resposta é “enfrentar como homens”, bem como o seu encontro com manifestantes no dia 15 de março e os recentes incentivos pela reabertura do comércio. O The Guardian chega a destacar a suspeita de que o presidente tenha transmitido ele mesmo o coronavírus, relembrando que parte de sua equipe foi contaminada e a declaração da Fox News, de que Eduardo Bolsonaro confirmou um exame positivo do pai à emissora e depois voltou atrás.

“Em um país de 210 milhões de pessoas, o curso imprudente do presidente pode ser a diferença entre dezenas ou centenas de milhares de mortes. O perigo para os povos indígenas – pelos quais o desprezo de Bolsonaro é bem documentado – é particularmente grave. As doenças altamente infecciosas devastaram comunidades no passado; o coronavírus pode ser uma ameaça existencial”, alerta o jornal.

O editorial também aponta para o que seria, na opinião do The Guardian, uma estratégia de Bolsonaro para jogar a crise econômica derivada da pandemia no colo dos governadores.

“Por mais errático que Bolsonaro seja, seu curso atual deve, sem dúvida, algo a seus cálculos políticos. Ataque as restrições agora e, quando a economia avança, ele pode culpar as terríveis decisões tomadas por outros. Ele já acusou os governadores de serem ‘exterminadores de empregos’. Alguns observadores também suspeitam que ele vê a pandemia como uma maneira de agitar sua base; ele sempre prosperou em confrontos e caos.”

O texto termina apontando o afastamento de aliados e concluí: “Bolsonaro pode não acreditar no distanciamento físico, mas está se mostrando notavelmente bem-sucedido em se isolar”. O editorial está disponível na versão online do The Guardian.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum