Fórumcast #20
14 de julho de 2017, 19h03

Em jornal do grupo Globo, fruto do mar vira objeto para matéria negativa sobre Lula

“Vendedores de lula comentam condenação de ex-presidente”, diz a manchete de uma matéria negativa sobre o ex-presidente Lula no jornal Extra. Em tempo, Lula lidera todas as pesquisas para a presidência em 2018, mesmo com a sentença. Pauta ou desespero? 

Por  Ivan Longo 

A sentença do juiz Sérgio Moro condenando o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão por conta do caso do “triplex do Guarujá” é, sem dúvidas, o assunto da semana na imprensa nacional e até internacional. O Grupo Globo, uma das principais frentes de ataque à figura do ex-presidente nos últimos anos, explorou de tal maneira o assunto que até o fruto do mar que tem o mesmo nome que o do petista foi usado de objeto para uma matéria negativa.

“Vendedores de lula comentam condenação do ex-presidente”, diz a manchete da reportagem publicada nesta quinta-feira (13) pelo jornal carioca Extra, do Grupo Globo.

Na matéria, vendedores de lula e consumidores de um mercado são entrevistados sobre a condenação do ex-presidente.

Qualquer veículo jornalistico sério poderia sair às ruas para perguntar a opinião das pessoas sobre a condenação de um ex-presidente. Mas, qual o objetivo de uma matéria ao associar a condenação do petista à receita de uma lula e ao fato de colocar o fruto do mar “na panela”? Afinal, isso é pauta?

Veja também:  Jair Bolsonaro volta a falar sobre cocô em críticas a índios, meio ambiente e imprensa

Em tempo, o ex-presidente Lula permanece em liberdade até a decisão da segunda instância e pode, ainda, concorrer à presidência da República em 2018. Todas as pesquisas de opinião o apontam como favorito. Talvez isso ajude a explicar um pouco a ânsia da Globo em explorar o assunto ao ponto de precisar usar um fruto do mar como objeto principal de uma matéria.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum