sábado, 26 set 2020
Publicidade

Em meio ao caos do Coronavírus, Apple diz que pode desistir de aumentar produção de iPhone

A Apple pode rever seus planos de aumentar a produção do iPhone em 10%, na primeira metade deste ano. O motivo seria o avanço do surto de coronavírus pela China, publicou nesta terça o jornal  Nikkei Asian Review.

De acordo com o jornal, a empresa encomendou aos fornecedores que fabricassem até 80 milhões de iPhones na primeira metade deste ano – 65 milhões de seus antigos modelos e até 15 milhões de unidades de um novo modelo de preço reduzido que planeja apresentar em março.

Porém, devido ao avanço do coronavírus, a produção, que deveria começar no meio de fevereiro, pode atrasar.

Pode se dizer que todos iPhones são fabricados na China, principalmente pela Hon Hai Precision Industry, controlada pela Foxconn. Existe até uma “Cidade do iPhone”, em Zhengzhou.nHá também a Pegatron, em uma unidade de montagem nos arredores de Xangai.

Esses locais estão a 500 quilômetros de Wuhan, o epicentro do surto, mas essa distância não os imuniza contra seus efeitos devido ao transporte de suprimentos.

– Não consigo imaginar um cenário em que a cadeia de suprimentos não seja afetada –  declaorou Patrick Moorhead, analista da Moor Insights & Strategy, em entrevista à Bloomberg. – Se houver um grande problema de matérias-prima, fabricação, montagem, teste e remessa, haverá uma interrupção.

A Apple registrou mais de US$ 142 bilhões em vendas de iPhone no ano fiscal de 2019 e está lançando versões de smartphones mais baratos para conter o declínio nas vendas de seu carro chefe.

A Apple não respondeu a um pedido para comentar as informações publicadas pelo Nikkei.

Até o momento, o surto do vírus causou a morte de mais de 100 pessoas e infectou mais de 4.500 na China.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.