Fórumcast #19
19 de dezembro de 2015, 13h02

Em mensagem de Whatsapp, Cunha cita repasse de R$5 milhões a Michel Temer

Menção ao pagamento - que ainda não se sabe se é propina - ao vice-presidente da República consta em uma mensagem entre o dono da OAS, Leo Pinheiro, condenado na Lava Jato, e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); "Eduardo Cunha cobrou Leo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer, a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a 'turma'", denunciou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot

Menção ao pagamento – que ainda não se sabe se é propina – ao vice-presidente da República consta em uma mensagem entre o dono da OAS, Leo Pinheiro, condenado na Lava Jato, e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); “Eduardo Cunha cobrou Leo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer, a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a ‘turma'”, denunciou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot

Por Brasil 247

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mencionou um pagamento de R$ 5 milhões feito pela OAS ao vice-presidente da República, Michel Temer. Menção consta em uma mensagem pelo aplicativo WhatsApp entre Cunha e o dono da empreiteira, Leo Pinheiro, condenado na Lava Jato.

“Eduardo Cunha cobrou Leo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a ‘turma'”, descreve o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em documento que foi assinado pelo ministro do STF Teori Zavascki, que fundamentou as buscas da Operação Catilinárias nesta semana.

Veja também:  #MoroMente: Juristas promovem ato em São Paulo para denunciar violações de Moro

A operação atingiu as residências do presidente da Câmara. Em seguida à mensagem de Cunha, o empreiteiro pede “cuidado com a análise para não mostrar a quantidade de pagamentos dos amigos”. A mensagem estava no celular de Leo Pinheiro, apreendido em 2014 pela PF.

As informações são de reportagem dos jornalistas Graciliano Rocha e Bela Megale, da Folha de S. Paulo. Ao jornal, Temer afirmou que o repasse é legal e enviou extrato de cinco doações da OAS feitas ao PMDB entre maio e setembro de 2014, cuja soma chega a valor semelhante ao citado por Pinheiro: R$ 5,2 milhões.

Segundo Temer, as doações foram declaradas à Justiça Eleitoral. “Não há nenhum problema em relação a isso e tudo ocorreu com absoluta transparência”, informou a assessoria de imprensa do vice-presidente.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum