Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

05 de setembro de 2019, 12h36

Em resposta a Bolsonaro, Comissão de Cultura aprova audiência pública para debater ditadura militar

A iniciativa foi aprovada um dia após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmar que a ditadura foi "nota 10 em amor ao próximo"

A Comissão de Cultura da Câmara aprovou nesta quarta-feira (04) requerimento para realização de audiência pública para discutir questões de apologia à ditadura, tortura e às comemorações ao golpe civil-militar de 1964. O pedido é de autoria do deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE).

A iniciativa do pedetista foi aprovada um dia após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmar que a ditadura foi “nota 10 no amor ao próximo”. No mesmo discurso, ele também afirmou que as comemorações de 7 de Setembro, Dia da Independência, mostrarão ao mundo que a “Amazônia é nossa”.

“Essa declaração esdrúxula vem no momento em que observamos ataques aos direitos humanos e à pessoa humana”, criticou Gadêlha, destacando que o Bolsonaro ignora sistematicamente as perseguições, torturas e desaparecimentos políticos ocorridos no período entre 1964 a 1985.

O presidente vem fazendo reiteradas declarações distorcida sobre os fatos históricos e enaltecendo a ditadura militar. “A nossa intenção é ouvir historiadores e especialistas para por fim ao processo de revisionismo e negacionismo histórico que tem finalidade política”, justificou o pedetista.

No requerimento são sugeridos entre outros nomes, os da antropóloga Lilian Schwarcz e do procurador-geral da República, Sérgio Suiama, ambos a confirmar. Assim como aguarda-se as indicações de estudiosos pró-ditadura.

A audiência deve ocorrer ainda em setembro, com data a definir.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum