Fórumcast #19
17 de junho de 2014, 17h12

“Encorajo os jogadores a declararem a sua orientação sexual”, diz comissária da ONU

Para Navi Pillay, quantos mais esportistas saírem do armário, mais a luta contra a discriminação por orientação sexual se fortalece

Para Navi Pillay, quantos mais esportistas saírem do armário, mais a luta contra a discriminação por orientação sexual se fortalece

Por Redação

A alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, declarou nesta segunda-feira (16), após encontro sobre a igualdade nos esportes, que os jogadores e esportistas deveriam assumir as suas respectivas orientações sexuais. “Encorajo os jogadores e esportistas a declararem sua orientação sexual”, convocou a representante da organização internacional.

Para Navi Pill, a assunção de uma orientação sexual não homogênea, no caso, heterossexual, ajuda na luta pela aceitação de gays e lésbicas no mundo. “Essa é a única maneira de terem o seu direito à orientação sexual aceito. Eles são exemplos, é importante mandar essa mensagem também aos torcedores. É uma vergonha, nos dias de hoje, que as pessoas tenham que esconder quem realmente são”, declarou Pillay em Genebra.

“Há um reconhecimento crescente de que o combate à discriminação requer mais do que medidas superficiais, que não fazem nada para mudar atitudes e lidar com as verdadeiras causas da desigualdade”, disse a comissária da Secretaria de Direitos Humanos da ONU. Pillay ainda alertou os países que recebem grandes eventos desportivos que, é justamente na ocorrência destes eventos que as violações de Direitos Humanos aumentam.

Veja também:  Sabatina de Eduardo Bolsonaro no Senado sobre embaixada pode ser secreta

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum