Enquanto Bolsonaro vê “finalzinho da pandemia”, mais 770 morrem por Covid-19

País se aproxima de 180 mil óbitos e chegou a 3º dia seguido com mais de 50 mil casos novos da doença

No mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que o Brasil está vivendo “o finalzinho da pandemia” do novo coronavírus, o país registrou mais 770 mortes por Covid-19 e novos 53.347 casos da doença.

Nesse “finalzinho de pandemia” do titular do Planalto, esta quinta-feira (10) foi o terceiro dia seguido em que o Ministério da Saúde registrou mais de 50 mil casos novos de infecção pelo Sars-Cov-2.

A pandemia que está no “finalzinho”, na avaliação que o presidente fez em discurso em Porto Alegre (RS), acumula até o momento 6.781.799 pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. Pior: o país é o segundo com mais mortes pela doença, com 179.765 vidas perdidas para a doença.

Por fim, outro dado divulgado pelo Ministério da Saúde, o total de pacientes em observação, ou seja, com a doença ativa, coloca uma pá de cal sobre a declaração de Bolsonaro: são 670.257 pessoas atualmente em acompanhamento, com sintomas ou não. O maior número em ao menos dois meses.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR