Entregadores de aplicativos fazem protesto na Paulista

Com a pademia e os restaurantes fechados, os entregadores se tornaram trabalhadores essenciais e os pedidos aumentaram em 77%

Entregadores dos aplicativos Ifood e Rappi se reuniram, usando máscaras de proteção, para protestar contra as condições de trabalho no começo da tarde de sexta (5).

“Vem pra rua, vem! Aplicativo não tá fazendo bem!”, era o que diziam os que protestavam. O aplicativo Ifood não fornece equipamento de segurança e nenhum deles oferece vínculo empregatício. Com a pademia e os restaurantes fechados, os entregadores se tornaram trabalhadores essenciais e os pedidos aumentaram em 77%, entre refeições, farmácias e mercado.

Sabendo do risco que correm os motoboys, algumas pessoas que usam esse serviço acrescentam 10% de gorjeta ou mais, opção dada pelo próprio aplicativo. Porém, os apps alegam que os cartões demoram 40 dias para pagar e muitos deles acabam nunca recebendo essas gorgetas.

Por volta das 14h, o ato foi dispersado pela PM.

Avatar de Clara Averbuck

Clara Averbuck

Escritora e jornalista, autora de 9 livros.