Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
22 de janeiro de 2020, 11h20

EUA promovem turnê para tentar manter status de Guaidó como “presidente” da Venezuela

Após encontro de Guaidó com o secretário de Estado Mike Pompeo, a Casa Branca organizou uma agenda de viagens do seu presidente venezuelano, que visitará a Europa e a Ásia nas próximas semanas

Mike Pompeo e Juan Guaidó, em evento na Colômbia, junto com o presidente anfitrião, Iván Duque (Foto: reprodução)

O encontro entre Juan Guaidó e Mike Pompeo nesta segunda-feira (20), na Colômbia, foi o primeiro passo de toda uma turnê mundial do deputado opositor venezuelano, que contará com o evidente apoio político e logístico dos Estados Unidos.

Guaidó apareceu de forma surpreendente na Colômbia, já que responde a processos em seu país e estava proibido de cruzar a fronteira. Participou de um evento no qual também estava presente o chefe da diplomacia estadunidense, e teve com ele uma longa reunião a portas fechadas.

Depois do encontro, que parece ter confirmado o status de Guaidó como representante da estratégia política estadunidense na Venezuela, ambos os lados anunciaram a agenda de viagens de Guaidó pelo mundo, que tem sua primeira parada nesta quarta-feira (22), em Londres.

Guaidó agora é somente um deputado, embora ainda afirme ser o presidente da Assembleia Nacional (mas, na verdade, perdeu a reeleição para o oposicionista Luis Parra, no dia 5 de janeiro) e também o presidente interino da Venezuela (discurso que só tinha alguma sustentação quando ele presidia o Poder Legislativo).

Inicialmente, o principal objetivo da viagem do deputado é reforçar sua legitimidade, com o apoio dos Estados Unidos ao relato de que Guaidó mantém os cargos que atribui a si mesmo.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, deu a entender isso, ao explicar sobre o conteúdo de sua conversa com o deputado opositor venezuelano: “estamos juntos (com Guaidó) neste projeto que logo dará um resultado: Maduro vai embora e o povo da Venezuela terá eleições livres e justas”.

Por sua parte, o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, afirmou que “Mike Pompeo veio à Colômbia para apoiar a ultradireita, e os partidos que apoiam o modelo neoliberal e antipopular na América do Sul, onde querem criar conflitos que buscam favorecer a manutenção desse modelo e os interesses dos Estados Unidos na região”.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum