Ex-BBB que fez publicidade para divulgar tratamento precoce testa positivo para Covid

O Ministério da Saúde e a Secretaria de Comunicação (Secom) pagaram R$ 85,9 mil a influenciadores para divulgar campanhas do governo sobre a Covid-19 nas redes sociais

A ex-BBB Flavia Viana, que recebeu R$ 11 mil do governo Federal, para participar de uma campanha sobre o tratamento precoce contra a Covid-19 – que não possui comprovação científica -, postou em suas redes que testou positivo pela doença causada pelo coronavírus. Além de Viana, o seu marido tambem se infectou.

“Amores, vim comunicá-los que infelizmente testei positivo para Covid, sendo assim o Marcelo (o primeiro a testar) que estava isolado em outro apartamento voltou para casa para que juntos pudéssemos nos ajudar a vencer esse vírus”, declarou Flávia Viana.

Ex-BBB Flávia Viana se desculpa por ter aceitado dinheiro do governo: “não acredito em tratamento precoce”

A ex-BBB Flávia Viana postou um vídeo em sua conta do Instagram, nesta quarta-feira (31), onde se desculpa por ter aceitado dinheiro do Governo Federal para divulgar o tratamento precoce, método que ainda não tem qualquer comprovação científica.

Ela disse não acreditar em tratamento precoce e disse ter aceitado fazer a publicidade pois achava que “era para alertar as pessoas dos cuidados, lavar as mãos, máscaras, álcool em gel, ficarem atentas aos sintomas, meu intuito foi de cuidado mesmo, sabe?!”

O Ministério da Saúde e a Secretaria de Comunicação (Secom) pagaram R$ 85,9 mil a influenciadores para divulgar campanhas do governo sobre a Covid-19 nas redes sociais. Desse montante, R$ 11,5 mil foi repassado à ex-BBB Flávia Viana para que ela defendesse o chamado “atendimento precoce”, que não tem eficácia comprovada contra a doença, no Instagram.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR