Fórumcast, o podcast da Fórum
26 de agosto de 2014, 12h15

Ex-rapper britânico é suspeito de degolar jornalista em vídeo

De acordo com jornais britânicos, Abdel-Majed Abdel Bary foi identificado como sendo o homem encapuzado em vídeo que mostra a morte do jornalista James Foley.

De acordo com jornais britânicos, Abdel-Majed Abdel Bary foi identificado como sendo o homem encapuzado em vídeo que mostra a morte do jornalista James Foley

Por Redação

foleyAs agências de inteligência do Reino Unido alegam ter identificado o homem encapuzado de sotaque britânico, suspeito de ter degolado em vídeo o jornalista norte-americano James Foley.

O homem por trás do capuz seria Abdel-Majed Abdel Bary, de 23 anos, chamado entre seus colegas militantes do Estado Islâmico como Jihadi John – em referência aos Beatles. Outros dois militantes britânicos seriam chamados de “George” e “Ringo”. O “Jihadi John” seria um ex-rapper conhecido como L Jinn, que deixou sua família em Londres para ir lutar na guerra civil da Síria. Seu pai é um militante nascido no Egito que está aguardando julgamento por acusações de envolvimento aos ataques terroristas no Quênia e na Tanzânia, em 1998.

As músicas de Bary chegaram a ser tocadas em uma das rádios mais populares do Reino Unido, a BBC Radio 1. Os periódicos britânicos confirmaram que foi graças a essas gravações musicais que as equipes de investigação chegaram a Bary, por meio de programas para reconhecimento de voz.

Soldados da SAS, a força especial britânica, já foram transportados para o norte do Iraque, próximo à fronteira com a Síria – região dominada pelos insurgentes sunitas ISIS – para capturar o assassino de James Foley. Segundo o Sunday Times, Bary seria o alvo número um da caçada humana.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum