Fórumcast, o podcast da Fórum
13 de janeiro de 2017, 13h48

Família Temer muda decoração histórica do Alvorada. Marcela não gosta de vermelho

A nova decoração segue “gostos pessoais”, afirma o ex-secretário-executivo da Comissão de Curadoria dos Palácios Claudio Soares Rocha. “O palácio é um prédio público, tombado. Não faz o menor sentido esse tipo de interferência num espaço público”, diz Rocha.

A nova decoração segue “gostos pessoais”, afirma o ex-secretário-executivo da Comissão de Curadoria dos Palácios Claudio Soares Rocha. “O palácio é um prédio público, tombado. Não faz o menor sentido esse tipo de interferência num espaço público”, diz Rocha.

Da Redação com informações do Poder 360

A família Temer está redecorando o Palácio da Alvorada. A pedido da chefia de gabinete da primeira-dama, Marcela Temer, foram retirados alguns móveis do térreo do Palácio do Alvorada. A nova decoração segue “gostos pessoais”, afirma o ex-secretário-executivo da Comissão de Curadoria dos Palácios Claudio Soares Rocha. “O palácio é um prédio público, tombado. Não faz o menor sentido esse tipo de interferência num espaço público”, diz Rocha.

Também foi colocada na varanda do palácio uma tela de proteção como segurança para o filho do casal, Michelzinho, que completa 8 anos em maio.

Marcela demonstra não gostar de móveis vermelhos, diz Rocha em entrevista ao Poder360. O presidente rejeita sofás pretos. As mudanças teriam seguido esses critérios. Assista a trechos da entrevista com o ex-responsável pela curadoria dos palácios:


(…) Rocha trabalhou até dezembro de 2016 com o processo de mudança de Michel Temer e sua família do Palácio do Jaburu para o da Alvorada. Afirma que a equipe do presidente “tem considerado exclusivamente o gosto pessoal” na reforma. (…) O palácio tem 3 andares. A residência do presidente ocupa apenas o 1º.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum