sexta-feira, 23 out 2020
Publicidade

Farmacêutica suspende teste de medicamento com anticorpos para Covid-19

Eli Lilly realiza ensaio clínico bancado pelo governo dos EUA; tratamento é semelhante ao usado por Donald Trump

A farmacêutica norte-americana Eli Lilly informou nesta terça-feira (13) que o ensaio clínico apoiado pelo governo dos EUA para tratamento da Covid-19 com anticorpos foi interrompido por causa de uma “preocupação de segurança”. Esse tratamento é semelhante ao aplicado no presidente dos EUA, Donald Trump, que contraiu a Covid-19 na semana retrasada.

A interrupção aconteceu nesta terça-feira, 13, após uma recomendação do Grupo de Monitoramento de Segurança de Dados (DSMB, na sigla em inglês), que faz parte do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos.

“Por precaução, o conselho independente de monitoramento de segurança de dados ACTIV-3 (DSMB) recomendou uma suspensão”, disse a porta-voz da Lilly, Molly McCully, em um comunicado por e-mail enviado à agência Reuters. “A Lilly apoia a decisão do DSMB independente de garantir cautelosamente a segurança dos pacientes participantes deste estudo.”

A farmacêutica não comentou as implicações para o ensaio paralisado, denominado ACTIV-3.

Como funciona

De uma maneira bastante simplificada, pode-se dizer que o tratamento tem base em anticorpos retirados do plasma sanguíneo de um paciente infectado e já curado de Covid-19

A ideia é separar os anticorpos que já combateram o vírus para multiplicá-los em laboratório.

Em um vídeo publicado na semana passada, Trump elogiou tanto o medicamento da Lilly quanto o tratamento com anticorpos da Regeneron Pharmaceuticals que ele recebeu contra a Covid-19, como potenciais “curas” para a doença.

*Com informações da Reuters

Fabíola Salani
Fabíola Salani
Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.