Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de fevereiro de 2012, 19h05

Feira de Economia Solidária reúne 400 empreendimentos do FSM

A Economia Solidária ocupa um importante espaço nos fóruns. Durante o FSM 2009, acontece uma série de eventos no Território da Economia Solidária, em que ocorrem debates sobre comércio justo e empreendimentos solidários, além da Feira Internacional e Praça de Alimentação da Economia Solidária. São 400 estandes para a feira e 15 para a Praça de Alimentação, onde é possível conhecer cooperativas de todo o país, localizados na Universidade Federal do Pará (UFPA).

Comunidades indígenas, associações, cooperativas, organizações e movimentos sociais participam, negociando em reais e em Amazônidas, uma moeda social criada especialmente para o evento. A Amazônida pode ser trocada no EcoBanco, e permite comer tapioca, tacacá, comprar farinha de mandioca branca ou amarela e muitas outros produtos tradicionais das cinco regiões do país. A proposta da nova moeda é facilitar as trocas de produtos entre os empreendedores da Feira de Economia Solidária e valorizar a autogestão, cooperação, sustentabilidade econômica e respeito ao meio-ambiente. Uma Amazônida vale R$ 1,00.

Apesar da “Amazônida” circular apenas nos dias do FSM, no Brasil já existem 33 comunidades de 31 cidades, onde o consumidor troca, no banco social, reais pela moeda social. A maior experiência esta no Ceará, em Palmas.

Encontro Mundial
No Fórum Internacional de Economia Solidária os membros do Conselho de Administração da Rede Intercontinental de Promoção da Economia Social e Solidária (Ripess) estarão reunidos. O Conselho é formado por dois representantes de cada continente, representando as mais de 150 redes de diversos países. O IV Encontro da entidade tem como tema ‘Existe outra economia – inovações da economia social e solidária‘.

Entre os temas a serem debatidos em Belém, destaque para o comércio justo, finanças solidárias, formas de autogestão de empresas, estruturas cooperativas, economia popular, moedas sociais, indicadores de riquezas, redes sócio-produtivas locais, processos e cadeias produtivas, modelo de desenvolvimento sustentável e estratégias frente à crise financeira internacional.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags