domingo, 20 set 2020
Publicidade

FGV vai investigar denúncia de plágio em mestrado do novo ministro da Educação de Bolsonaro

A Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou neste sábado (27) que vai investigar a denúncia de plágio na dissertação do novo ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro, Carlos Alberto Decotelli. Em nota, a FGV disse que “está localizando o professor orientador da dissertação para que ele possa prestar informações acerca do assunto”.

Na sexta-feira (26), o professor Thomas Conti, do Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa, mostrou que a dissertação de Decotelli tem trechos idênticos aos de um relatório da CVM (Comissão de Valores Mobiliário) do mesmo ano. O relatório não foi citado por Decotelli e nem sequer consta da bibliografia.

Mais cedo neste sábado, um levantamento do UOL também identificou pelo menos mais quatro trechos copiados de outras teses de mestrado e textos acadêmicos na dissertação de mestrado de Decotelli. Com o título “Banrisul: do PROES ao IPO com governança corporativa”, o trabalho foi apresentado em 2008 para a FGV.

Em nota enviada ao Jornal Nacional, que repercutiu o caso na noite de sábado, o ministro alega que pode ter ocorrido “falha metodológica” e nega ter plagiado outros autores. Ele diz que vai revisar o trabalho e procurar a FGV para estudar correções.

Na sexta, Decotelli também teve o seu doutorado desmentido. Ele alegava ter um doutorado da Universidade de Rosário, na Argentina. A informação também foi divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro, sustentada pelo MEC e constava no currículo oficial do ministro.

No entanto, o reitor da universidade negou que Decotelli seja doutor. Franco Bartolacci disse que, embora o ministro tenha cursado as disciplinas, a tese dele foi reprovada.

A elaboração de uma tese, fruto de uma pesquisa original, e a sua aprovação por uma banca de professores, é necessária para a obtenção de grau de doutor e constitui a parte mais importante da formação.

Ricardo Ribeiro
Ricardo Ribeiro
Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.