Filósofo Paul Preciado participa de evento literário no Brasil

Referência nos estudos de gênero e sexualidade, Preciado vai dividir mesa com Caetano veloso

O filósofo espanhol Paul Preciado, que é hoje um dos principais teórico sobre gênero e sexualidade, é um dos convidados da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que esse ano será realizada no formato virtual por conta da pandemia e acontece entre os dias 3 e 6 de dezembro.

Preciado vai dividir mesa com o cantor Caetano Veloso e, de acordo com informações divulgadas pelo evento, a ideia de juntar os dois na mesma mesa é porque ambos são conhecidos por “romper paradigmas”.

A mesa que une Preciado e Veloso vai girar em torno das obras recém lançadas pelos dois autores: “Um apartamento em Urano”, coletânea de ensaios do filósofo espanhol, e “Narciso em férias”, onde o cantor e escritor relata os 54 dias de cárcere vividos durante a ditadura militar.

Dissidente do sistema sexo-gênero

Nascido em Burgos, na Espanha, Paul Preciado é hoje referência nos estudos queer e sobre gênero e sexualidade. Ganhou notoriedade internacional com a publicação de sua primeira obra, “O Manifesto Contrassexual” (2002), onde versa sobre a “natureza” dos corpos e critica a tecnologia do binarismo de gênero que, de acordo com Preciado, trata-se de um esquema político para dividir a sociedade entre “normais” e “anormais”.

Em 2008, Preciado publica a sua segunda obra, “Testo Yonqui” (2008), onde analisa aquilo que vai chamar de “regime fármaco-pornográfico do poder”. Preciado classifica essa obra como uma “auto-ficção” onde faz do seu corpo o texto, pois, ao ingerir testosterona, o filósofo analisa as fronteiras fictícias que separam o masculino do feminino, bem como o poder dos fármacos na sociedade contemporânea.

Posterior a publicação de “Testo Yonqui”, o filósofo Paul Preciado lança “Pornotopia: arquitetura e sexualidade na guerra fria” (2010) onde, a partir do surgimento da revista playboy nos anos 1950, faz um estudo da construção de um novo tipo de masculinidade que, além de influenciar comportamentos, vai também incidir sobre os espaços arquitetônicos no que diz respeito na divisão binária de gênero, ou seja, o espaço geográfico e suas disposições também são ferramentas que organizam os corpos a partir do gênero.

Atualmente, Preciado está em turnê para a divulgação de sua mais recente obra, “Um apartamento em Urano” (2019), que reúne ensaios publicados no jornal francês Liberation entre 2010 e 2018. Hoje, Preciado se entende como um dissidente de gênero, afirma que não é heterossexual, nem homossexual e nem bissexual.

Recentemente, ele participou de um projeto da grife Gucci que tem a direção do cineasta Gus Van Sant. Confira abaixo.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).