sábado, 24 out 2020
Publicidade

Flamengo demite funcionário que fotografou jogadores sem máscara em voo

Clube teve mais de 20 infectados pelo novo coronavírus em excursão ao Equador; imagem, publicada no Twitter da equipe, trazia atletas que não tinham sido contaminados

O Flamengo demitiu, nesta sexta-feira (25), o funcionário que tirou uma foto dos jogadores do time sem máscara no voo de volta do Equador para o Brasil. A informação foi divulgada pelo site GE. A equipe teve mais de 20 pessoas contaminadas na excursão ao país sul-americano, aonde foi disputar duas partidas pela Libertadores. A máscara é um item de proteção recomendado pelas autoridades sanitárias para evitar a transmissão do novo coronavírus.

A imagem foi publicada no perfil do Twitter do clube. Ela trazia a legenda “Voltando com + 3 na bagagem”, em alusão aos três pontos conquistados pelo clube na vitória sobre o Barcelona de Guayaquil. O registro dos jogadores no avião costuma ser praxe no Flamengo, especialmente quando há vitória na partida. Os atletas que aparecem nela não tinham testado positivo para o coronavírus.

O autor das imagens é Matheus Grangeiro, que era responsável pelas redes sociais do rubro-negro. Grangeiro, segundo o GE, chegou a ir trabalhar normalmente nesta sexta-feira. À tarde, foi informado da demissão.   

Presidente tratou foto com naturalidade em entrevista

Horas antes de a demissão ser confirmada, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, participou de uma entrevista por videoconferência ao programa “Redação SporTV”. Nela, o executivo falava dos casos de Covid-19 confirmados no time. Ele foi um dos que testaram positivo para a doença, mas já no Brasil.

Questionado sobre a foto, Landim tratou com naturalidade o fato de os jogadores estarem sem máscara. “É óbvio que, na hora de tirar uma foto, você não fica de máscara. Eu não tiro foto com máscara”, disse ele. “Vamos relevar isso aí. Os jogadores jogam sem máscara, é difícil de conter, é coisa natural.”

O Flamengo foi um dos primeiros clubes a defender a volta do futebol. Sua pressão contribuiu para que o Campeonato Carioca fosse o primeiro a ser retomado.

Veja abaixo a publicação do Twitter que rendeu a demissão.

*Com informações do GE

Fabíola Salani
Fabíola Salani
Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.