Flávio Bolsonaro joga responsabilidade da denúncia da Covaxin para Pazuello

Senador afirmou que Bolsonaro avisou o então ministro da Saúde sobre a denúncia dos irmãos Miranda, mas não tem nenhuma prova disso

O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) jogou para cima do então ministro da Saúde Eduardo Pazuello a responsabilidade por não ter sido levada adiante a denúncia de irregularidade na compra da Covaxin reveladas pelo servidor Luis Ricardo Miranda e seu irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF).

Em entrevista ao Globo, publicada nesta sexta-feira (2), o filho do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) afirmou que seu pai não prevaricou. “O presidente informou ao ministro da Saúde o que tinha sido relatado. O ministro, na sua hierarquia de comando, cobrou também algum retorno, se havia algo de irregular. O retorno foi que não havia nada irregular, processualmente falando. Nada tinha de materialidade ali (na denúncia)”, disse.

Flávio disse ainda acreditar que não há nenhum documento que comprove que Bolsonaro tenha encaminhado a denúncia a Pazuello. “Isso acontece muito pelo telefone. ‘Olha, tem uma denúncia aqui, uma suspeita de irregularidade no contrato tal. Dá uma olhada e vê se tem algo de irregular’. Aí avaliam que não tem nada e falam: ‘Chefe, a princípio não tem nada’. Não tem por que acusar o presidente Bolsonaro de prevaricação”.

Notícias relacionadas

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.