Fórumcast #19
06 de julho de 2007, 17h47

Governo quer agricultura familiar como provedora de alimentos

Chico Menezes, presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e nutricional (Consea) acredita que Sistema Nacional permitirá fortalecer pequenos produtores diante do avanço do agronegócio

Chico Menezes, presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e nutricional (Consea) acredita que Sistema Nacional permitirá fortalecer pequenos produtores diante do avanço do agronegócio

Por Brunna Rosa

Ao final da III Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em Fortaleza, Ceará Chico Menezes, presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e nutricional (Consea) concedeu entrevista á Fórum. O evento sobre a política nacional de segurança alimentar e nutricional do país ocorreu de 3 a 6 de julho.

Com a chamada Por um desenvolvimento sustentável com soberania e segurança alimentar e nutricional a Conferência, que recebeu duas mil pessoas, discutiu os principais pontos da Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

Menezes explica como foi o processo da Conferência e suas expectativas em relação à criação do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Para Menezes, fortalecer programas que englobem a política nacional alimentar será uma forma de estruturar a agricultura familiar para que se torne a principal provedora de alimentos para a população brasileira. Chico Menezes foi pesquisador e diretor do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), fundado pelo sociólogo Betinho, criador da campanha brasileira contra a fome.

Veja também:  Preterido por Macri após primárias na Argentina, Bolsonaro diz que “bandidos de esquerda” estão voltando

FÓRUM- Como foi o processo que construiu a III Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional?
CHICO MENEZES-
Iniciamos com uma série de contatos entre municípios passando por micro-regiões, realizando conferências estaduais que culminaram na Nacional. No processo, foram envolvidos ao menos 70 mil pessoas, discutindo políticas públicas e segurança alimentar e nutricional. O processo, por si só, já tem um grande significado ao abrir, para a sociedade e governos, as discussões de propostas que esperamos que se convertam em ações na área. O encontro nacional conta com duas mil pessoas que representam discussões sobre o tema que envolveram o país inteiro.

FÓRUM- Que influência esse encontro pode ter nas política públicas de segurança alimentar?
MENEZES-
Já existem algumas coisas muito nítidas, que levam em consideração as características sociais e iniciativas que são bastante pertinentes com a complexa realidade do país. É nítido o aspecto da fragmentação que persiste nas políticas públicas de segurança alimentar e nutricional no país. Na conferência estamos discutindo a pertinência da construção de um Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Outro fator que estou muito otimista é o fortalecimento de programas que trazem alternativas a população que se encontra em uma situação vulnerável por condições ambientais.
Um exemplo é o programa um milhão de cisternas, que já tem 200 mil cisternas construídas no Semi-Árido.

Veja também:  “Não é digno de ocupar a Presidência”, diz Márcio Jerry a deputado com dois processos no Conselho de Ética

FÓRUM- Como funcionaria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional?
MENEZES-
A segurança alimentar tem uma abrangência que não é setorial e por isso é diferente do Sistema Único de Saúde e do Sistema Nacional de Assistência Social. O Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional funcionará como um sistema que de fato integre políticas, programas e ações, que trazem resultados concretos e paralelamente fortaleça programas de aquisição de alimentos da agricultura familiar.

FÓRUM- Utilizar os programas que integrarão o Sistema será uma forma de fortalecer a agricultura familiar frente o avanço do agronegócio?
Menezes-
Nos últimos anos, o agronegócio vem sistematicamente avançando e tirando espaço da agricultura familiar. Com o fortalecimento dos programas que já existem, sobretudo com aumento de recursos orçamentários, e outros programas que venham a ser criados, existirá um fortalecimento da agricultura familiar, para ela poder, de fato, se tornar a principal provedora de alimentos para a população brasileira.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum