O que o brasileiro pensa?
04 de fevereiro de 2020, 12h39

Greve dos petroleiros avança para mais de 30 unidades da Petrobrás

Em pelo menos 12 estados servidores da estatal do petróleo brasileira aderiram à paralisação, que acontece desde sábado (1º)

Foto: FUP

Os petroleiros completam nesta terça-feira (4), o quarto dia de greve no Sistema Petrobrás, contra as demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR) e pelo cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho.

Mais de 30 unidades aderiram ao movimento, em 12 estados do país. Na Bacia de Campos, os trabalhadores estão entregando a produção das plataformas para as equipes de contingência da Petrobrás. Até o final da manhã, 17 plataformas já tinham aderido à orientação do sindicato.

Na Transpetro, subsidiária da Petrobrás, a greve também avançou, com a adesão dos trabalhadores do Terminal de Cabiúnas, em Macaé (UTGCAB), do Terminal de Guarulhos, em São Paulo, e do Terminal Terrestre de Itajaí (TEJAÍ), em Santa Catarina.

No Espírito Santo, a greve ganhou o reforço dos trabalhadores da Unidade de tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), que cortaram a rendição no turno na manhã desta hoje.

No Rio de Janeiro, a Comissão de Negociação Permanente da FUP segue há quatro dias ocupando uma sala do quarto andar da sede da Petrobrás, cobrando interlocução com a gestão da empresa para suspender as demissões em Araucária e abrir fóruns de negociação para cumprimento do Acordo Coletivo.

Para aumentar a pressão, familiares de trabalhadores da Fafen-PR permanecem desde terça-feira (03) em frente à sede da Petrobrás, em uma vigília com apoio dos trabalhadores e movimentos sociais. As demissões anunciadas pela gestão da Petrobrás começam no próximo dia 14, se não forem suspensas.

Na Fábrica, em Araucária, os petroquímicos e petroleiros completam 15 dias de resistência, acampados em frente à unidade.

Veja mais detalhes aqui


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum