Greve Sanitária na Repar

A greve é em defesa da vida, pela suspensão por tempo indeterminado da parada de manutenção da unidade mediante o cenário de grave crise sanitária gerado pela pandemia do coronavírus.

Hoje (12/04) os petroleiros da refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, região metropolitana de Curitiba, deliberaram por deflagrar greve sanitária a partir da zero hora.

Os trabalhadores reivindicam da suspensão da parada de manutenção da unidade, procedimento que incluirá mais dois mil empregados na rotina diária do local, causando riscos de contaminações pelo coronavírus. A Petrobrás insiste em manter tais trabalhos no momento mais crítico da pandemia. Cabe destacar que os gestores adiaram a parada por duas vezes, em setembro de 2020, por problemas de contratação de empresas, e em março de 2021, para evitar a disseminação do vírus.

Mortes na refinaria e risco para o município

A parada da refinaria é o procedimento industrial na rotina da Repar que causa uma grande aglomeração em toda a planta da refinaria, ampliando em cerca de 2 mil trabalhadores que vêm de vários estados.

A parada está prevista para hoje e ampliará o foco de contaminação em massa da covid-19. O Sindipetro-PR-SC denunciou junto aos órgãos oficiais, como as secretarias de saúde municipal de Araucária e do Paraná, Ministério Público Estadual (MPE) e Ministério Público do Trabalho (MPT-PR), as aglomerações na empresa durante a pandemia.

Na Repar já foram registradas três mortes de trabalhadores terceirizados pela Covid-19 e a gestão sequer comunicou os demais empregados. Diante de tamanha negligência com a segurança e de tantas tentativas por parte do sindicato dos petroleiros em negociar uma solução recusada pela empresa, não restou outro caminho a não ser a paralisação total das atividades.

São cerca de dois mil trabalhadores que vêm de várias regiões do país e se concentram em Araucária, situação que coloca a saúde pública do município em risco, já que viagens interestaduais não são recomendadas neste cenário de agravamento da pandemia no Brasil.

Greve Sanitária e apoio político

Na noite de quinta-feira (08/04) em assembleia os trabalhadores aprovaram por 56% dos votos a aprovação da greve a partir de 0:00H desta segunda-feira (12/04).

A luta é pela suspensão por tempo indeterminado da parada de manutenção da unidade mediante o cenário de grave crise sanitária gerada pela pandemia do coronavírus.

 O deputado estadual Professor Lemos (PT) manifestou apoio à greve, lembrando que depois de tantas tentativas do Sindicato de negociar uma solução, sobrou aos trabalhadores realizar a greve:

TODO NOSSO APOIO E SOLIDARIEDADE aos trabalhadores e trabalhadoras da Repar, refinaria da Petrobras em Araucária. Em…

Publicado por Professor Lemos em Sexta-feira, 9 de abril de 2021

Com informações do Sindipetro-PR-SC

Avatar de Sindicato Popular

Sindicato Popular

O blog é uma parceria da Fórum com o Sindipetro-NF (Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense). Traz artigos e análises de temas de interesse dos trabalhadores.