#Fórumcast, o podcast da Fórum
24 de janeiro de 2017, 11h48

Grupos feministas articulam contra presidência de Roman Polanski no Cesar, o Oscar francês

Associações feministas recolheram em menos de uma semana mais de 61 mil assinaturas para pedir a destituição do cineasta como presidente do César, o Oscar francês. Polanski é acusado nos Estados Unidos do suposto estupro de uma menor de 13 anos em 1977.

Associações feministas recolheram em menos de uma semana mais de 61 mil assinaturas para pedir a destituição do cineasta como presidente do César, o Oscar francês. Polanski é acusado nos Estados Unidos do suposto estupro de uma menor de 13 anos em 1977.

Da redação com Informações da Folha

O cineasta franco-polonês Roman Polanski desistiu de presidir em fevereiro a cerimônia do César, o “Oscar francês”, depois que associações feministas convocaram um boicote devido ao tema do suposto estupro de uma menor há quatro décadas, informou nesta terça-feira seu advogado.

Estas associações recolheram em menos de uma semana mais de 61 mil assinaturas para pedir a destituição do cineasta como presidente do César.

Polanski é acusado nos Estados Unidos do suposto estupro de uma menor de 13 anos em 1977.

Esta polêmica “injustificada” entristeceu “profundamente Roman Polanski e afetou sua família”, e o diretor “decidiu não aceitar o convite” dos organizadores da cerimônia, marcada para esta terça (24) em Paris, informou em um comunicado seu advogado, Hervé Temime.

A controvérsia é “alimentada por informações errôneas”, defendeu o advogado.

“Vamos lembrar que Samantha Geimer [a menor] apoia há muito tempo as iniciativas judiciais de Roman Polanski para regularizar sua situação nos Estados Unidos, e pediu o abandono definitivo das acusações.”

O comunicado também lembra que a justiça da Polônia e da Suíça rejeitaram os pedidos de extradição dos Estados Unidos, ao estabelecer que Polanski “havia cumprido a pena, que havia sido alvo de um acordo entre todas as partes na época”.

A ministra francesa de Direitos das Mulheres, Laurence Rossignol, também havia condenado a eleição de Polanski como presidente do César.

A titular da Cultura, Andrey Azoulay, se absteve de criticar a designação do diretor de “O Pianista” e “Tess – Uma Lição de Vida”.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum