Notícias

Guedes insiste em falácia de crescimento econômico: “Queda no PIB foi localizada”

Ao blog da Ana Flor, no G1, ministro atribuiu a retração ao impacto da crise hídrica na agricultura e na indústria. PIB recuou 0,1% no terceiro trimestre

Compartilhar

O ministro da Economia, Paulo Guedes, ainda insiste na teoria de que a economia brasileira crescerá neste ano – mesmo que falte um mês para terminar 2021.

Após divulgação nesta quinta-feira (2) de que o Produto Interno Bruto (PIB) teve diminuição de 0,1% no terceiro trimestre, Guedes afirmou ao blog da Ana Flor, no G1, que a queda foi “localizada”. Segundo ele, o grande culpado é o impacto da crise hídrica na agricultura e na indústria.

“A agricultura caiu 8%, mas setor de serviços, por exemplo, se recuperou. Foi uma queda localizada”, disse o ministro. “Falar em crescimento é falar em investimento”, continuou, ressaltando que a taxa de investimento na economia está em quase 20%, “ponto mais alto desde o 3º trimestre de 2014”.

Notícias relacionadas

“Recuperação em V” da economia

Com a segunda queda trimestral no PIB – no segundo trimestre também houve recuo de 0,1% -, o Brasil entra em recessão técnica, enquanto a maioria dos países do mundo retomam o crescimento após a atenuação da pandemia do coronavírus.

A recessão técnica é quando um país acumula queda no PIB por dois trimestres seguidos. No primeiro trimestre de 2021, houve um crescimento de 1,2%, o que fez Guedes anunciar a “retomada em V” da economia.

Mesmo com os números do segundo trimestre mostrando o contrário, o ministro da Economia insistiu na tese.

“Diziam que eu estava em universo paralelo quando eu dizia que Brasil ia voltar em V. (…) A economia voltou em V, estamos crescendo novamente. Hoje saiu um dado [PIB], é praticamente de lado. Como foi -0,05%, arredondou para -0,1%. Se fosse -0,04% era zero”, disse em setembro, após divulgação dos dados.

Ministério da Economia culpa “fatores climáticos adversos”

Tentando tirar sua parcela de responsabilidade pela crise, o Ministério da Economia publicou nota defendendo que “fatores climáticos adversos” pesaram na queda do PIB.

“É fundamental distinguir o que é política econômica de fatores climáticos adversos e pontuais da natureza. A maior crise hídrica em 90 anos de história e a ocorrência de severas geadas tiveram impacto tanto em setores intensivos em energia como em setores que dependem do clima, como agricultura”, diz.

“A queda de 8% da agropecuária na margem produziu impacto de -0,5 p.p. do PIB no 3T21 contra o trimestre imediatamente anterior. Se fosse zerada a variação da agropecuária na margem, o PIB cresceria na ordem de 0,3% a 0,4% no 3T21 em relação a 2T21”, afirma no comunicado.

Este post foi modificado pela última vez em 2 dez 2021 - 14:18 14:18

Carolina Fortes

Repórter colaborativa no site Emerge Mag e antiga editora-assistente no site da Jovem Pan. Ex-repórter no site Elástica. Formada em jornalismo e faz a segunda graduação em Letras na Universidade de São Paulo (USP). Acredita no jornalismo como forma de impacto social e defende maior inclusão e representatividade.

Por
Carolina Fortes

Última hora

  • Debates

O País do futuro – Por Luiz Claudio Romanelli

O escritor austríaco Stefan Zweig assina o livro “Brasil, um país do futuro”, no qual…

27 jan 2022 - 23:13
  • Blog do Mouzar

Sob a regência de Júlio Medaglia… E viva Chico Buarque! – Por Mouzar Benedito

Em seu blog, Mouzar Benedito relembra o "Quinteto do Couro da Geografia" da USP e…

27 jan 2022 - 23:00
  • Fala que eu discuto

Serguei, o mito – Por Lelê Teles

Pansexual, panafricanista, panamericano e pândego, foi uma espécie de Palhaço Krusty do roque nacional, ninguém…

27 jan 2022 - 22:46
  • Política

Sinalização de Lula ao centro atrai investimentos estrangeiros, diz sócio de gestora de fundos

Investidor estrangeiro, diante da postura de Lula, está mais otimista que o investidor local, afirma…

27 jan 2022 - 22:21
  • Política

Com 1% nas pesquisas, Simone Tebet tem candidatura ratificada por Temer: “pra valer”

Pesquisa Ipespe divulgada nesta quinta-feira mostra a senadora Simone Tebet com dificuldades de emplacar como…

27 jan 2022 - 21:55
  • Brasil

Câmeras reduzem em 85% as mortes em batalhões da PM de SP monitorados

Tecnologia fez ações letais desabarem. Na Rota, por exemplo, as ocorrências quase acabaram

27 jan 2022 - 21:51