Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
15 de agosto de 2015, 09h27

Homem é linchado após ser confundido com estuprador no litoral de SP

Crime aconteceu em 30 de julho; Junio Flávio Alves de Alcântara, de 28 anos, teve morte cerebral decretada pelos médicos um dia depois

Crime aconteceu em 30 de julho na cidade de Itanhaém; Junio Flávio Alves de Alcântara, de 28 anos, teve morte cerebral decretada pelos médicos um dia depois

Por Redacão*

Pedra atirada contra Junio durante o linchamento (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Pedra atirada contra Junio durante o linchamento (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Junio Flávio Alves de Alcântara, de 28 anos, foi linchado por engano em Itanhaém, no litoral de São Paulo, após ser confundido com um estuprador. O crime ocorreu em 30 de julho, mas a vítima teve morte cerebral constatada um dia depois em uma unidade de Pronto Atendimento (UPA) onde estava internado. Até o momento, apenas um homem foi preso acusado de participação no homicídio.

No dia em que foi morto, Junio havia saído com uma amiga para um bar. Segundo a mulher, que preferiu não se identificar, ele sofria de depressão. Após um surto, deixou o local sozinho e foi atacado nas horas seguintes – testemunhas declararam que o viram correndo nu pela rua e por isso pensaram que era o estuprador. Foi encontrado no hospital no dia 31, com diversos ferimentos pelo corpo.

Na última quarta-feira (12), o ajudante-geral Johnny de Brito, de vinte anos, foi detido em sua casa e confessou à Polícia Civil ter atirado uma pedra contra Junio. Ele teve a prisão temporária de trinta dias decretada pela Justiça. Agora, os policiais querem chegar aos demais indivíduos que participaram do crime.

Em um vídeo postado nas redes sociais, a mãe de Junio, Joelma dos Santos Alves, disse que a “família toda está desolada. Eu não durmo e nem me alimento direito. Ele era generoso e amigo, todos gostavam dele”. Ela, que vive em Portugal, pediu que os responsáveis pelo assassinato de seu filho sejam punidos. “No momento, meu coração sangra de dor. A Justiça brasileira precisa punir, senão, eles vão voltar a matar e destruir outra família. Vocês mataram um anjo”, afirmou, emocionada.

*Com informações do portal G1


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum