O que o brasileiro pensa?
30 de junho de 2020, 22h51

Idoso em situação análoga à escravidão é resgatado em fazenda no interior de SP

O homem trabalhava no manejo de gado leiteiro em troca de moradia precária e sem folgas

Foto: Divulgação/MPT

Um homem de 61 anos era submetido a condições análogas à escravidão em uma fazenda de São José dos Campos, no interior de São Paulo. Ele trabalhava no manejo de gado leiteiro de segunda a segunda, cumprindo jornada das 5 da manhã às 6 da tarde, sem folgas e férias desde 2005.

O homem não era registrado e trabalhava em troca da moradia. Ele residia em um casebre da fazenda, com a mãe, de 87 anos, usando água de mina, fogão a lenha, em condições insalubres.

O trabalhador e a mãe foram resgatados nesta terça-feira (30) em operação conjunta do Ministério Público do Trabalho e da Polícia Federal. Os agentes da PF fizeram a prisão em flagrante do empregador pelo crime de submeter trabalhador à condição análoga à de escravo.

A denúncia foi feita pela Ordem dos Advogados do Brasil de São José dos Campos. Sem renda, os idosos se alimentavam mediante a ajuda de vizinhos e voluntários, que doavam cestas básicas.

O proprietário da fazenda disse que pagava salário por produção e dava cestas básicas, mas não tinha recibos ou qualquer evidência que comprovasse a alegação. Ele foi levado para a delegacia da PF e ficou preso por não ser réu primário.

Na semana passada, uma idosa de 61 anos foi resgatada, em uma operação do Ministério Público do Trabalho de uma casa no Alto de Pinheiros, bairro nobre da zona oeste de São Paulo, em condições análogas à escravidão. Empregada doméstica, ela não recebia salários desde 2011.

A idosa era explorada Mariah Corazza Üstündag, à época executiva da Avon, foi demitida da empresa quando o caso foi revelado.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum