iFood diz que baniu cliente que recusou entregador por ele ser negro em Goiânia

App se colocou à disposição para ajudar na investigação; gerente de lanchonete denunciou caso nas redes sociais

O iFood, aplicativo de entrega de comida, disse nesta terça-feira (27) que baniu de sua plataforma a cliente que recusou-se a receber um entregador pelo fato de ele ser negro. O caso aconteceu em um condomínio de luxo em Goiânia. A gerente da lanchonete que atendia o pedido, identificada como Carol, postou o caso em redes sociais.

“O iFood identificou a usuária agressora da plataforma e a baniu imediatamente. A empresa presta solidariedade ao entregador e está em contato para oferecer apoio psicológico”, escreveu a empresa na postagem da gerente.

“A empresa está à disposição para colaborar com a investigação do caso”, continuou. “Nestes casos, é importante que seja feito registro de boletim de ocorrência (BO) e contato com a empresa pelos canais oficiais de atendimento via aplicativo.” Por fim, o iFood completou: “Ao receber qualquer tipo de relato como este, o iFood apura as ocorrências e, quando comprovado o descumprimento dos termos e condições de uso, desativa o cadastro dos envolvidos”.

A ocorrência foi na noite desta segunda-feira (26). O motoboy Elson Oliveira, de 39 anos, foi realizar uma entrega de hambúrguer em um condomínio de luxo Aldeia do Vale, em Goiânia (GO). No entanto, a cliente impediu sua entrada no local, pelo fato de ele ser negro.

A gerente da hamburgueria, identificada como Carol, postou o relato com prints da conversa em redes sociais. “Esse preto não vai entrar no meu condomínio. Manda outro motoboy que seja branco”, escreveu a moradora. Carol se mostrou indignada e negou trocar o entregador. A moradora então continua: “Eu não vou permitir esse macaco”.

Condomínio de luxo da capital goiana, o Aldeia do Vale tem casas com preços que atingem até R$ 5,7 milhões.

Tags:

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.