Igreja Católica não pode abençoar uniões homossexuais, diz Vaticano

Documento publicado pela Congregação para a Doutrina da Fé teve apoio do Papa Francisco

O Vaticano, por meio de um documento da Congregação para a Doutrina da Fé, afirmou, nesta segunda-feira (15), que padres e outras autoridades da Igreja Católica não podem abençoar uniões entre pessoas do mesmo sexo. E, caso isso ocorra, tais celebrações não serão oficiais.

O documento publicado pela Congregação, que é o departamento do Vaticano responsável pela doutrina oficial, responde o questionamento de algumas paróquias sobre o impacto de uniões homossexuais abençoadas por padres.

As paróquias que questionaram a benção às uniões homossexuais levantaram a questão de que, aos do público, se tratava de uma sinalização favorável aos gays dentro da igreja. A resposta do Vaticano foi negativa.

Todavia, a Congregação diz em seu texto que não se trata de “apoio a uma discriminação injusta”, mas sim uma lembrança da verdade da liturgia.

“Não é lícito dar benção a relacionamentos, até mesmo aos estáveis, que envolvam atividade sexual fora do casamento (ou seja, fora da uni]ao indissolúvel de um homem e uma mulher, aberto à transmissão da vida), como é o caso das uniões entre pessoas do mesmo sexo”, diz o texto da Congregação.

O órgão do Vaticano afirma que o referido documento contou com o apoio do Papa Francisco.

Com informações do G1.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).