Inflação de março fica em 0,93%, maior alta do mês desde 2015

Combustível e botijão de gás ficaram mais caros; preço dos alimentos segue em tendência de queda

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação do país, ficou em 0,93% em março deste ano, acima da taxa de fevereiro, que foi de 0,86%.

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (9), nos últimos 12 meses o IPCA acumula alta de 6,10%, percentual acima do teto da meta de 5,25% previsto para este ano.

Dessa maneira, a alta de 0,93% é o maior resultado para um mês de março desde 2015, quando foi registrada inflação de 1,32%. Em março do ano passado, a inflação teve o seu menor nível desde 1994, 0,07%.

Combustível e botijão de gás puxam alta

A alta do índice foi puxada, principalmente, pelos preços dos combustíveis (11,23%) e do gás de botijão (4,98%).

“Foram aplicados sucessivos reajustes nos preços da gasolina e do óleo diesel nas refinarias entre fevereiro e março e isso acabou impactando os preços de venda para o consumidor final nas bombas. A gasolina nos postos teve alta de 11,26%, o etanol, de 12,59% e o óleo diesel, de 9,05%. O mesmo aconteceu com o gás, que teve dois reajustes nas refinarias nesse período, acumulando alta de 10,46%, e agora o consumidor percebe esse aumento”, explicou o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov, em comunicado.

Por outro lado, o preço dos alimentos apresenta queda. De acordo com o IBGE, o preço dos alimentos desacelerou e ficou em 0,13%. Em fevereiro, a variação havia ficado em 0,27%.

Com informações da CNN Brasil

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).