Fórumcast, o podcast da Fórum
11 de fevereiro de 2015, 08h58

Jean Wyllys pondera: “Não podemos ser confundidos com reacionários que pedem impeachment”

Em coletiva de imprensa realizada na Câmara para apresentar propostas políticas e econômicas do PSOL para o país, o deputado afirmou que é preciso saber diferenciar os parlamentares da Casa: “A gente não vai tratar todos os petistas como corruptos e aderir a este discurso mentiroso”.

Em coletiva de imprensa realizada na Câmara para apresentar propostas políticas e econômicas do PSOL para o país, o deputado afirmou que é preciso saber diferenciar os parlamentares da Casa: “A gente não vai tratar todos os petistas como corruptos e aderir a este discurso mentiroso”

Texto e fotos de Maíra Streit

BRASÍLIA – Nesta terça-feira (10), o deputado Jean Wyllys (PSOL/RJ) se reuniu com a bancada do PSOL na Câmara dos Deputados e a Executiva Nacional do partido para apresentar alternativas para o que consideram uma crise político-econômica vivenciada pelo país na atualidade. Na ocasião, Wyllys criticou as medidas que vêm sendo adotadas pelo governo federal, principalmente no que diz respeito aos direitos trabalhistas e previdenciários.

Porém, em entrevista coletiva realizada no local, o deputado fez questão de explicar que a oposição a Dilma Rousseff nada tem a ver com o golpismo aplicado por outros grupos políticos. “É fundamental que a nossa atuação não seja confundida com as forças políticas reacionárias que estão pedindo o impeachment da presidenta”, ponderou.

O deputado disse que é preciso fazer uma diferenciação entre os parlamentares, independentemente do partido a que pertencem. “Há de se distinguir nossa atuação aqui porque o jogo é bastante complexo: o presidente desta Casa é, em tese, parte da base governista, e esta pessoa se opõe claramente às políticas de direitos humanos. Nós temos, aqui, apoio de petistas nas políticas de direitos humanos. Então, a gente não vai colocar todos os parlamentares petistas no mesmo pacote, não vai tratar todos os parlamentares petistas como corruptos. A gente não vai aderir a este discurso mentiroso”, afirmou.

Propostas

????????

Luciana Genro apresenta a Carta de Brasília, aprovada em reunião do PSOL

Hoje, o presidente nacional do PSOL, Luiz Araújo, e a candidata à Presidência da República nas eleições de 2014, Luciana Genro, apresentaram a Carta de Brasília, aprovada nesta manhã em reunião do partido. Reforçaram as propostas do PSOL o líder na Câmara, deputado Chico Alencar (RJ), e o senador Randolfe Rodrigues (AP). Além de Jean Wyllys (RJ), também estiveram na coletiva os deputados Ivan Valente (SP), Edmilson Rodrigues (PA) e Cabo Daciolo (RJ).

Entre as alternativas sugeridas no documento, está a revogação das MPs 664/2014 e 665/2014; redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução de salário; barrar o aumento das tarifas de transporte público e implementação do passe livre nacional; aprovação de uma reforma política que amplie a participação e o controle social sobre as instituições públicas; além de punição para os envolvidos no esquema investigado pela Operação Lava Jato.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum