Jogador Ibrahimovic é acusado de homofobia na Itália

Partido Gay italiano diz que o atacante do Milan fez piada com cantor transgênero durante festival de música de Sanremo

Zlatan Ibrahimovic, atacante do Milan, está sendo acusado pelo Partido Gay da Itália de homofobia. De acordo com o porta-voz do partido, Fabrizio Marrazzo, o jogador fez piadas homofóbicas durante o festival de música de Sanremo.

O jogador sueco foi o coanfritrião da 71ª edição do festival anual de música da Ligúria, onde o apresentador Amadeus pediu ao jogador que se imaginasse transmitindo o espetáculo de sua casa.

“Cantores na sala de estar, garotas com Zlatan, e você na cozinha me fazendo café”, disse o jogador.

Na sequência, Amadeus perguntou o que ele faria com Achille Lauro, rapper italiano que é transgênero.

Ibrahimovic respondeu: “Vamos colocá-lo na garagem para cuidar dos carros, os ladrões não vão entrar e não vão roubar nada porque têm medo dele.

Para o porta-voz do Partido Gay, a declaração do atacante é “depreciativa e machista” e ele lembrou de outra declaração homofóbica do jogador.

“Ibrahimovic na Espanha, em 2010, fez uma piada homofóbica quando um jornalista perguntou se ele era gay, e ele respondeu: ‘traga-me sua irmã'”, disse.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).