Entrevista exclusiva com Lula
13 de fevereiro de 2019, 06h48

Juan Guaidó “autoriza” invasão da Venezuela via fronteiras no próximo dia 23

Guaidó "autorizou" a entrada da "ajuda humanitária" dos Estados Unidos no país. Presidente eleito, Nicolás Maduro considera a operação humanitária a porta de entrada para uma intervenção militar americana

Nicolás Maduro e Juan Guaidó (Montagem)

Apoiado por Jair Bolsonaro (PSL) e Donald Trump, Juan Guaidó, que tenta dar um golpe e assumir o poder na Venezuela, definiu nesta terça-feira (12), a data da invasão do próprio país: 23 de fevereiro.

Em ato em Caracas, Guaidó “autorizou” a entrada da “ajuda humanitária” dos Estados Unidos no país e disse aos militares que não bloqueiem o comboio. Presidente eleito, Nicolás Maduro considera a operação humanitária a porta de entrada para uma intervenção militar americana.

“A ajuda humanitária entrará na Venezuela quer queiram, quer não, porque o usurpador vai ter de ir embora da Venezuela”, disse Guaidó, em referência Maduro. “Não é a primeira vez que a Venezuela vai se livrar de um tirano, esperamos que seja a última.”

Em entrevista à CNN, Maduro disse que a escassez de alimentos e medicamentos está sendo usada por Washington e pela oposição para dizer que em seu país há uma crise humanitária e, assim, justificar uma intervenção militar.

Guaidó, que tem o apoio de cerca de 50 países como presidente interino da Venezuela, não detalhou como a entrada e a distribuição de ajuda aconteceria.

Ele pediu que 250 mil pessoas se voluntariem para uma caravana e disse ainda que promulgará uma “ordem direta” às Forças Armadas para que permitam a entrada da assistência — embora não haja sinais de que os militares se inclinem a desobedecer a Maduro.

Maduro, que chama de “show político” a chegada de ajuda, nega uma “emergência humanitária” e atribui a falta de medicamentos e alimentos a uma “guerra econômica” da direita e a duras sanções americanas.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum