terça-feira, 20 out 2020
Publicidade

Justiça do Equador ordena prisão “imediata” do ex-presidente Rafael Correa

Sentença busca barrar candidatura a vice em fevereiro de 2021 e proíbe de ocupar cargos obtidos em eleição

A Justiça do Equador ordenou nesta quarta-feira (23) a captura “imediata” do ex-presidente Rafael Correa, que atualmente vive na Bélgica. Mais popular presidente do país depois de três mandatos, ele teve uma condenação por corrupção confirmada e a tentativa de concorrer a vice-presidente em fevereiro de 2021.

A sentença de oito anos destaca a execução imediata da decisão e inclui uma proibição vitalícia para ocupação de cargos obtidos em eleição, desenhada para barrar a candidatura de Correa. Como a legislação do Equador impede um quarto mandato, ele entrou de vice na chapa de Andrés Araus, pela coalizão União Nacional para a Esperança (UNES).

O registro de candidatura, porém, foi barrado por uma manobra do Conselho Nacional Eleitoral. Correa já responde a outro processo e contesta as acusações. Por isso, permanece na Bélgica, onde vive desde que deixou a Presidência.

Ricardo Ribeiro
Ricardo Ribeiro
Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.