Justiça nega recurso de Olavo, condenado a pagar R$ 2,8 milhões a Caetano

Guru da família Bolsonaro chamou cantor e compositor de “pedófilo” em 2017 e foi condenado por danos morais

A Justiça do Rio negou nesta quarta-feira (11) recurso do astrólogo Olavo de Carvalho que buscava evitar o pagamento de uma indenização milionária ao cantor e compositor Caetano Veloso. O guru da família Bolsonaro foi condenado a pagar R$ 2,8 milhões ao artista, por danos morais.

O desembargador José Acir Lessa Giordani, da 12ª Câmara Cível do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio), negou a concessão de efeito suspensivo ao recurso de Olavo. O astrólogo havia sido intimado há cerca de um mês a pagar Caetano em 15 dias.

O processo teve outras quatro decisões judiciais, todas favoráveis a Caetano. O pedido de Olavo ainda será julgado pelo colegiado da 12ª Câmara Cível junto com um segundo recurso de sua defesa, que pede a impugnação da multa aplicada ao escritor. O julgamento, porém, ainda não tem data definida segundo a Justiça fluminense.

A ação judicial se originou devido a uma publicação que Olavo fez em redes sociais, em 2017. Nela, o guru da extrema direita brasileira chamava o artista de “pedófilo”. Processado por Caetano, o astrólogo foi condenado por crime de calúnia e difamação.

Vale lembrar que, em junho deste ano, Olavo chegou a chantagear Bolsonaro e o empresário Luciano Hang (mais conhecido como Veio da Havan), ameaçando “derrubar o governo” caso não recebesse ajuda para pagar a dívida. No dia seguinte, teria recebido resposta de empresários bolsonaristas, e mudou seu discurso, se dizendo “100% ao lado do governo”.

Com informações do UOL

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.