Fórumcast, o podcast da Fórum
30 de agosto de 2017, 17h36

Justiça solta homem que ejaculou em mulher no ônibus; ele tem 4 passagens por estupro

Em audiência de custódia, juiz disse não ter visto “constrangimento tampouco violência” no gesto do rapaz, que se masturbou e ejaculou no pescoço de uma mulher em um ônibus na avenida Paulista. Soltura do agressor acontece no mesmo dia em que outra mulher relatou assédio em um ônibus, também em São Paulo. Nesta última, agressor apalpou seus seios 

Por Redação 

A Justiça de São Paulo resolveu liberar, nesta quarta-feira (30), o homem detido na terça-feira (29) depois de ejacular no pescoço de uma mulher dentro de um ônibus na avenida Paulista.

O agressor passou menos de 24h detido e foi liberado após audiência de custódia, mesmo já tendo na ficha 4 passagens por suspeita de estupro. Em nenhuma das acusações ele foi condenado.

De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo, o juiz entendeu que “não houve constrangimento tampouco violência” e, por tal razão, defende que o crime “se amolda à contravenção e não estupro”. Na decisão, o juiz se baseou no artigo 61 da lei de contravenção penal – “importunar alguém em local público de modo ofensivo ao pudor” – e é considerado de menor potencial ofensivo.

Veja também:  Alunos e professores vencem e interventor bolsonarista sai pela porta dos fundos e não assume o Cefet-RJ

A soltura do agressor acontece no mesmo dia em que outra mulher denunciou assédio no transporte público. A vítima, como a última, também estava em um ônibus na avenida Paulista quando foi apalpada por um homem. “Ele passou a mão em mim e quis parecer que eu estava louca. Estava sentada ao lado dele. Ele começou a passar a mão no meio seio e eu comecei a me ligar. ‘Sai de perto, sai de perto!’ As mulheres ao redor também começaram a se revoltar”, disse ao portal G1. O homem está detido.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum