Fórumcast, o podcast da Fórum
06 de abril de 2017, 18h56

Líder do Pinheirinho, bairro em São José dos Campos que sofreu massacre, assume cadeira de vereador

Valdir Martins, mais conhecido como Marron, foi eleito suplente da vereadora Amélia Naomi (PT) e a substituirá enquanto se recupera de uma cirurgia. Marron foi líder dos moradores expulsos em uma das desocupações mais violentas ocorridas na história do estado de São Paulo. Na posse, dedicou seu mandato à luta pela moradia

Por Redação*

Há pouco mais de cinco anos a cidade São José dos Campos, em São Paulo, assistia uma das maiores e mais violentas desocupações urbanas do país, que destruiu a comunidade formada pelas quase 2 mil famílias do Pinheirinho. Nesta quinta-feira (6), com as famílias já vivendo em casas construídas pelo programa Minha Casa Minha Vida, a cidade assistiu a maior liderança daqueles moradores assumir uma cadeira na Câmara Municipal.

Valdir Martins, o Marrom do Pinheirinho, foi eleito suplente de vereador pelo PT e substituirá a vereadora Amélia Naomi, que se recupera de uma cirurgia. “É um sentimento muito forte, porque por muito tempo fomos achincalhados nesta cidade, tratados como foras da lei simplesmente por lutar pelo direito mínimo à moradia”, desabafou Marrom. “Ter conquistado nossas casas depois de tanta luta e hoje poder defender meu povo como um representante oficial da cidade, como um membro da casa de Leis, é uma alegria e uma demonstração da força da luta popular”.

Marrom quer usar a oportunidade para reforçar sua luta por moradia. “Nossa cidade vive um momento semelhante ao do nosso país, com ameaças graves de recuo nas poucas conquistas sociais que tivemos recentemente. Aqui a luta pela regularização de bairros e mais moradias populares voltou a ser uma preocupação grave e que se não for atendida pode no futuro acabar em novas ocupações”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum