Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
02 de fevereiro de 2012, 09h48

Lixo que reduz conta de luz ganha prêmio

Um projeto brasileiro que dá descontos na conta de luz para quem recicla lixo é um dos dez vencedores do World Business and Development Awards (Prêmio Empresas Globais e Desenvolvimento), concedido nesta quarta-feira, em Nova York, pela Câmera do Comércio Internacional, pelo Fórum Internacional de Líderes de Negócios e pelo PNUD. A premiação, que está em sua terceira edição, destaca ações do setor privado que ajudam a acelerar o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

A iniciativa brasileira, implantada pela empresa de energia elétrica Endesa, foi elogiada por conciliar reciclagem e acesso maior dos pobres à eletricidade. “O programa centra-se em torno do conceito inovador de trocar lixo reciclável por créditos na conta de eletricidade. Os dois principais objetivos são melhorar a reciclagem e dar aos consumidores descontos na conta de energia, especialmente consumidores de baixa renda”, elogiou o comitê do prêmio em seu comunicado. A iniciativa diminuiu a inadimplência e “ajudou a aumentar a distribuição para novos consumidores que antes não tinham acesso a eletricidade”, afirma o texto.

A Endesa — uma multinacional espanhola dona de quatro subsidiárias no Brasil, que juntas atendem a 5,1 milhões de clientes — implantou o projeto por meio da Ampla (distribuidora de energia elétrica que atua em 66 municípios cariocas) e da Coelce (que distribui energia elétrica a todo o Ceará).

No Ceará, onde o programa chama-se Ecoelce (http://www.ecoelce.com.br), o cliente cadastra-se em um ponto de coleta de recicláveis e recebe um cartão eletrônico. Depois, volta ao posto com o lixo, que é então pesado. O valor do desconto, calculado de acordo com o tipo e o peso dos resíduos — um quilo de garrafa PET, por exemplo, vale R$ 0,30 —, é creditado no cartão. No Rio o processo é semelhante, mas o número de postos de coleta é menor.

A terceira edição do World Business and Development Awards também premiou projetos das empresas 3K&A (em Gana), Diageo (Nigéria), Haygrove (Gâmbia), Olam Nigeria (Nigéria), Safaricom (Quênia), Sistema Ser (Argentina), Smart Communications (Filipinas), Syngenta (projeto implantado em vários países) e ZMQ Software Systems (Índia). Os organizadores deram ainda um destaque especial a iniciativas de três outras empresas: Map Internacional (por um projeto em Uganda), Yara (Moçambique e Tanzânia) e Ericsson (Quênia, Nigéria e África do Sul).


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags