Lula fará pronunciamento ao povo brasileiro neste sábado, no histórico Sindicato dos Metalúrgicos

O ex-presidente promete fazer uma análise o governo Bolsonaro durante sua fala no ato organizado por movimentos sociais em São Bernardo do Campo

Durante ato organizado por movimentos sociais em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), o ex-presidente Lula fará um longo pronunciamento ao povo brasileiro, neste sábado (9), depois das 12 horas. Lula foi solto nesta sexta-feira e, após falar com o Acampamento Lula Livre, partiu para o ABC paulista.

O ex-presidente deve focar seu discurso na perda de direitos que o governo comandado por Jair Bolsonaro tem promovido. Em discurso feito logo que saiu da prisão, Lula disse que deixaria para o dia seguinte uma análise sobre a conjuntura do Brasil, mas adiantou algumas críticas.

“Depois que eu fui preso, depois que eles roubaram do Haddad, o Brasil não melhorou, o Brasil piorou. O povo tá trabalhando sem o menor respeito. […] Colocaram um ministro da Educação que tenta destruir a nossa universidade. Eu saio com o maior sentimento de agradecimento que um ser humano pode ter por outro. […] Quero um governo que não mente no Twitter como o Bolsonaro mente”, disparou.

Foto: Reprodução

Na fala proferida em Curitiba, Lula exaltou a mobilização popular em sua defesa, agradeceu muito a todos que participaram da Vigília Lula Livre e disse que a Lava Jato não vei conseguir criminalizar a esquerda. “Todo santo dia, vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir à safadeza e à canalhice que um lado podre do estado brasileiro, da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal, da Receita Federal que tentaram criminalizar a esquerda, criminalizar o PT e criminalizar o Lula. Eu não poderia ir embora sem falar com vocês”, declarou.

O ex-presidente ainda cumprimentou lideranças presentes, exaltando os movimentos sociais e o PT e agradecendo o apoio de partidos como PSOL e o PCO. Lula também exaltou a figura de Fernando Haddad, referindo-se a ele como quase-presidente. “Quero cumprimentar nosso quase presidente se não fosse roubado, Fernando Haddad”, disse.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR