Nova pesquisa confirma favoritismo de Lula em todos os cenários para 2022

O levantamento também revela tendência de queda de Ciro Gomes, pré-candidato do PDT

Levantamento sobre a intenção de votos à presidência da República em 2022, realizado pela Modalmais/Futura, confirma o favoritismo do ex-presidente Lula para ocupar novamente o Palácio do Planalto.

Além disso, a pesquisa revela que o pré-candidato do PDT à presidência, Ciro Gomes, apresenta tendência de queda. Nos últimos meses Gomes adotou a estratégia de atacar Lula, o PT e outros setores da esquerda, o que parece não estar rendendo frutos para quem almeja se tornar presidente.

De acordo com a pesquisa da Modalmais/Futura, que foi divulgada nesta quarta-feira (27), no 1º turno Lula tem 34,7%, o presidente Bolsonaro (sem partido) 32,1%, Sergio Moro (sem partido) aparece com 11,2%, Ciro Gomes (PDT) 9,7%, João Doria (PSDB) 2,6% e Rodrigo Pacheco (PSD) 0,5%.

Quando o nome de João Doria é substituído pelo de Eduardo Leite, com quem o governador de São Paulo disputa as prévias tucanas, a vantagem de Lula aumenta e ele aparece com 39,5%, Bolsonaro com 32,2%, Moro com 9,7%, Ciro com 8%, Leite com 2% e Pacheco com 0,5%.

Sem Lula na disputa, o atual presidente, Jair Bolsonaro, lidera a corrida com 33,5%, seguido de Ciro que aparece com 17,9% e Moro com 12,1%.

Em sentido inverso, ou seja, quando Bolsonaro não é considerado na disputa, Lula assume a dianteira com 39,9% contra 15,3% de Moro e 11,2% de Ciro Gomes.

A pesquisa projeta um provável 2º turno entre Lula e Bolsonaro: o petista aparece com 49,2%, Bolsonaro pontua 37,4%. Comparando com levantamento anterior da Modal, Lula aparecia com 49,7% e Bolsonaro com 35,3%.

Os números mostram que, quando Sergio Moro entra na disputa o candidato do PDT, Ciro Gomes, perde votos.

Publicidade

A pesquisa ouviu 2 mil leitores, com margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Pesquisa PoderData aponta Lula na liderança e Moro à frente de Ciro

Pesquisa PoderData, do site Poder360, divulgada nesta quarta-feira (27), aponta que o ex-presidente Lula (PT) mantém a liderança nas intenções de voto na disputa pela presidência em 2022.

Publicidade

O petista aparece com 35% de preferência do eleitorado, contra 28% do presidente Jair Bolsonaro, que consta em segundo lugar. Já a terceira colocação, que vinha sendo, em diferentes levantamentos, do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), agora pertence, segundo o PoderData, ao ex-juiz Sérgio Moro, que se filiará ao Podemos. O ex-magistrado aparece com 8% das intenções de voto, mas o mais provável é que ele se candidate ao Senado, e não à presidência.

O pré-candidato do PDT, por sua vez, soma 5% das intenções de voto, logo à frente de João Doria (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), ambos com 4%. Fecham a lista os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Rodrigo Pacheco (PSD), com 3% e 1%, respectivamente. 7% dos entrevistados afirmaram que votarão em branco ou nulo, enquanto outros 2% não sabem ou não responderam.

2º turno

Em simulação de 2º turno, segundo o levantamento PoderData, Lula venceria Bolsonaro com 52% dos votos, contra 37% do atual presidente – o que representa uma queda do petista, que tinha 56% na pesquisa anterior realizada pela mesma plataforma.

O ex-presidente, no entanto, segue como favorito contra qualquer um dos virtuais candidatos à presidência. Contra João Doria, por exemplo, Lula ganharia com 51%, contra 16% do tucano.

O PoderData ouviu 2.500 pessoas em todo o país entre os dias 25 e 27 de outubro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Notícias relacionadas

Com informações da Carta Capital

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).