Médica que protestou contra isolamento morre de coronavírus no Ceará

No Facebook, ela minimizou a gravidade do vírus e compartilhou convocação para carreata pela reabertura do comércio

A médica Lúcia de Fátima Dantas de Abrantes, de 65 anos de idade, morreu infectada com coronavírus na última sexta-feira (10), em Iguatu, no Ceará. Ela estava internada na UTI do hospital da cidade.

Iguatu, de 100 mil habitantes, fica 370 quilômetros ao sul de Fortaleza. O Ceará é o terceiro estado brasileiro com mais casos de coronavírus, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro.

Em 16 de março, a médica fez uma publicação no Facebook em que minimiza o risco do coronavírus. “Existem vírus muito mais potente e que matam muito mais (h1n1 por exemplo) e ninguém está nem aí para eles. Porque será??????”, escreveu Lúcia, com imagem que também criticava a cobertura da imprensa sobre a pandemia.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2632943310147808&set=a.134951753280322&type=3&theater

No dia 27 de março, ela compartilhou uma convocação para uma carreata pela reabertura do comércio em Recife, organizada por empresários. Lúcia de Fátima Dantas de Abrantes é irmã de Johnson Gonçalves de Abrantes, conhecido advogado de João Pessoa.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2657237341051738&set=a.134951753280322&type=3&theater

Não era bolsonarista

Apesar de pregar o fim do isolamento em pelo menos duas de suas publicações no Facebook, Lúcia não era bolsonarista. O perfil da médica na rede social também traz registros de defesa pelo Sistema Único de Saúde (SUS), assim como dos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à doença.

Em uma das postagens, de 27 de outubro do ano passado, Lúcia celebra o aniversário do ex-presidente Lula. Em outra, compartilha um vídeo do ex-candidato à Presidência, Ciro Gomes, “detonando” em um debate.

Matéria atualizada em 11/04/2020, às 9h25

Publicidade
Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR