quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Médicos chineses descobrem anticorpos que poderiam gerar vacina contra o coronavírus

Especialistas do hospital Jinyintan, na cidade chinesa de Wuhan, epicentro da epidemia do novo tipo de coronavírus (ou Covid-19, segundo o nome adotado pela OMS para especificar esta mais recente mutação), descobriram que a transfusão de plasma dos pacientes que se recuperaram da doença ajuda a curar outros contagiados com a doença. A informação foi difundida pela agência de notícias chinesa Xinhua.

Segundo os médicos chineses, a recuperação dos pacientes a partir desse tratamento com transfusões levou ao início de estudos mais detalhados dos efeitos dessas plaquetas, de forma a tentar identificar porque as plaquetas teriam esse efeito curativo.

Em coletiva de imprensa, o chefe do hospital de Jinyintan, Zhang Dingyu, disse acreditar que este poderia ser o começo da descoberta de uma vacina ou um tratamento mais sofisticado para enfrentar a doença.

“O plasma foi capaz de encontrar anticorpos que ajudaram a combater o Covid-19, precisamos entender como isso aconteceu, e é muito possível que isso nos leve a encontrar respostas ainda melhores que as que temos agora”, afirmou Dingyu.

Durante a mesma entrevista, o médico-chefe contou que o hospital está fazendo um apelo aos pacientes curados para que doem plasma antes de deixarem o hospital, para que possa ser usado no tratamento de outras pessoas que ainda estão padecendo da doença.

As autoridades chinesas afirmam que, somente nesta semana, mais de 8 mil pacientes tiveram alta e puderam deixar o hospital, já sem nenhum sintoma causado pelo Covid-19. Porém, não há uma cifra de quantas dessas pessoas doaram plasmas.

Atualmente, há quase 60 mil pessoas contagiadas com o coronavírus em toda a China, e mais de 60% delas estão na região de Wuhan, onde está o hospital Jinyintan. O número de falecimentos registrados é de 1484.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.