Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de junho de 2007, 20h16

Meio ambiente foi tema de reunião de jornalistas em São Paulo

Cerca de 200 profissionais e estudantes de comunicação que compareceram ao 2º Fórum Paulista de Jornalismo Ambiental para debater a construção das novas pautas da sustentabilidade empresarial e jornalística.

Cerca de 200 profissionais e estudantes de comunicação que compareceram ao 2º Fórum Paulista de Jornalismo Ambiental para debater a construção das novas pautas da sustentabilidade empresarial e jornalística.

Realizado pelo Instituto Envolverde, uma organização ligada à Revista Digital Envolverde e que tem como missão o “Jornalismo pela Sustentabilidade”, o 2º Fórum buscou ampliar a visão de profissionais ligados ao meio ambiente e contou com a presença de grandes nomes da imprensa e do setor.

Na abertura do evento participaram o presidente do Instituto Envolverde, Adalberto Marcondes, o presidente da CAVO Serviços e Meio Ambiente, Luiz Augusto Gomes, a gerente de imprensa da Petrobras, Consuelo Sanches, a assessora de comunicação da Tetra Pak, Liliana Morales e o diretor da Fundação SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani que demonstraram aos presentes a importância da evolução da cobertura da mídia voltada ao meio ambiente.

Em seu discurso, Luiz Augusto Gomes presidente da CAVO disse que a mídia brasileira precisa entender as questões ambientais como um todo, não dando atenção apenas ao desmatamento e a conservação. “O importante é focar na educação ambiental e seus desdobramentos sociais e econômicos”.

O fórum contou com quatro mesas, a primeira mediada pelo jornalista Heródoto Barbeiro, abordou a questão do saneamento e poluição urbana com a participação de Nabil Bonduki, especialista em Plano Diretor – FAU/USP, Eduardo Vasconcelos, assessor técnico de Associação Nacional de Transportes Públicos, Lineu Andrade, presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) e Kazuo Nakano, arquiteto urbanista do Núcleo de Urbanismo do Instituto Polis.

Meio ambiente, economia, sustentabilidade e a viabilidade de políticas ambientais foram os temas discutidos na segunda mesa, que reuniu Rogério Ruschel, presidente da consultoria Ruschel e Associados, Luis Cesar Stano, da Petrobras, Beth Fernandes, consultora do E-Labore e Fernando Neves, da Tetra Pak. Os palestrantes falaram sobre a relação da imprensa com as empresas para a divulgação de pautas ambientais. Segundo Fernando Neves, da Tetra Pak, é papel das empresas divulgar suas ações no mercado além de fornecer suporte para criação de novos negócios a partir do ciclo de reciclagem dos produtos.

Os impactos do consumo no ambiente foi o tema da terceira rodada. Liderada pela vice-presidente do Instituto Envolverde, Fátima Cardoso, com a presença da gerente de informação do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Lisa Gunn; pela assessora do Greenpeace, Gabriela Vuolo e o secretário executivo da EcoPress, Aron Belinky. A mesa fomentou o debate sobre o conceito de desenvolvimento sustentável e sua aplicação para os padrões de consumo atuais, especificamente em práticas de um consumo sustentável.

A quarta e última mesa do 2º Fórum Paulista de Jornalismo Ambiental teve como tema às novas pautas e as mídias ambientais. Compunham o debate Ana Ligia Scachetti, gerente de comunicação da SOS Mata Atlântica; Luciano Costa Martins, editor da Revista Adiante; Inês Berloffa do Instituto Ethos e André Trigueiro, jornalista e professor universitário e o moderador Adalberto Marcondes. Uma unanimidade entre os presentes foi a questão da reinvenção do jornalismo na formação de novos heróis coletivos e não individuais como temos visto. Luciano Martins foi quem pautou esta idéia de que a mídia deve ser ligada à realidade social e apontou a internet como caminho alternativo.

André Trigueiro também defende a mudança, e disse que o denuncismo e a desesperança fazem com que as pessoas deixem de ler ou assistir jornal. Para Trigueiro o jornalista deve fiscalizar e as escolas de comunicação devem dar base para os estudantes sobre temas cruciais nas questões ambientais.

O tema mudança foi o foco da discussão e a internet foi apontada como o principal parceiro nesta nova forma de fazer jornalismo. Os critérios de avaliação e o tipo de informação foi a proposta passada por Inês Berloffa para as novas pautas ambientais, segundo ela o foco deve ser voltado aos valores coletivos e dentro da ética ambiental, encerrando a segunda edição do Fórum Paulista de Jornalismo Ambiental.

Envolverde

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags