Fórumcast #19
28 de agosto de 2017, 21h37

#MeuMotoristaAbusador: Relato de estupro de Clara Averbuck expõe outros casos nas redes

Escritora relatou o estupro que sofreu de um motorista da Uber e lançou a tag #MeuMotoristaAbusador para que outras mulheres exponham seus casos e evidencie a dimensão do problema. Confira 

Por Redação

A escritora Clara Averbuck revelou, nesta segunda-feira (28), que foi vítima de um estupro praticado por um motorista da Uber durante uma corrida. O caso ganhou destaque nas redes sociais e, com o intuito de dar voz outras mulheres que já passaram por situações semelhantes, Averbuck lançou a hashtag #MeuMotoristaAbusador .

“Que meu caso sirva para que outras mulheres não tenham medo de expor o acontecido. Que não se culpem. Que, se não se sentirem seguras para fazer uma denúncia formal, sejam respeitadas. Porque o sistema é um conto de fadas mal contado, as cadeias estão explodindo de gente que, em muitos casos, nem deveria estar lá. E a polícia é despreparada para lidar com essas questões delicadas. É por isso que, coletivamente, pensamos, esta tarde, na campanha#MeuMotoristaAbusador e #MeuMotoristaAssediador”, escreveu, em artigo, depois de revelar pelo Facebook o abuso que sofreu.

Veja também:  Argentina: Após derrota nas primárias, cai ministro da Fazenda de Macri

Com a hashtag #MeuMotoristaAbusador, centenas de casos semelhantes começaram a ser expostos por mulheres tanto pelo Twitter quanto pelo Facebook.

Atualmente, são poucas as empresas de carro particular que oferecem às mulheres a opção de escolher uma motorista mulher. Há, apenas em São Paulo, a LadyDriver. O Femitaxi e o Taxi Rosa já possuem licença no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e na Grande São Paulo. Dos aplicativos tradicionais, um dos poucos que oferecem a opção de selecionar uma motorista mulher é o 99 táxis.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum