Ministério da Saúde sumiu com dados sobre covid-19, denunciam pesquisadores

Essenciais para estudar a pandemia, registros de internações por síndrome respiratória aguda grave desapareceram do sistema

Pesquisadores do Observatório Covid-19 BR denunciaram nesta segunda-feira (20) que o Ministério da Saúde do governo Jair Bolsonaro excluiu parte dos registros de notificações de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) da base de dados que é disponibilizada pela pasta na internet. A SRAG incluí casos da doença causada pelo coronavírus.

Os dados do Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep) contêm todas as hospitalizações por SRAG no Brasil. As autoridades de saúde são obrigadas a informar o ministério sobre essas internações. Cada novo caso representa uma nova linha acrescentada à tabela.

Cada registro do sistema apresenta informações detalhadas do paciente internado, como idade, estado, município, escolaridade e raça, além das datas dos primeiros sintomas, da notificação e da evolução (alta ou óbito). Os dados são essenciais para pesquisas científicas e análises sobre a situação da pandemia de coronavírus no país. No entanto, desde a semana passada, foram registradas inconsistências graves nessas tabelas.

“Na última extração disponibilizada ontem houve sumiço de dados. Não sabemos quais foram os protocolos adotados para essa redução, se limpezas de duplicatas, ou definição mais rígida de critérios para a notificação de casos no sistema”, disse o observatório, em nota.

Comparando os dados atuais com os da semana anterior, os pesquisadores identificaram que a tabela mais antiga tinha 255.343 registros, enquanto a mais atual tem 208.272.

“A extração publicada perdeu algo da ordem de 20% do total de registros. É preciso saber se isso foi apenas um erro e nesse caso, deve ser corrigido”, diz o grupo.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR