Fórumcast #20
18 de novembro de 2016, 20h18

Ministro da Cultura Marcelo Calero pede demissão; Roberto Freire assume pasta

Calero enviou uma carta ao Palácio do Planalto para anunciar sua saída alegando “divergências” com o governo. Leia a carta de demissão

Por Redação

O ministro da Cultura, Marcelo Calero, pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (18). A assessoria do ministério informou que a demissão ocorreu por conta de “divergências” com integrantes do governo.

Em sua carta de demissão, Calero alega razões “de ordem pessoal”.

O ministro conversou por telefone com o presidente Michel Temer, que está em São Paulo. Temer teria insistido para que Calero pensasse melhor sobre a demissão, mas o agora ex-ministro manteve a palavra e concretizou o pedido.

O Palácio do Planalto confirmou a informação e disse que o presidente aceitou o pedido de demissão e quem vai assumir a pasta será o deputado Roberto Freire (SP), presidente do PPS.

Confira a íntegra da carta de Calero.

Brasília, 17 de Novembro de 2016.

Ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República Michel Temer,

Agradeço a honra a mim concedida com o convite para ser Ministro de Estado da Cultura do Brasil de seu governo.

Venho solicitar minha demissão em caráter irrevogável por razão de ordem pessoal.
Durante os últimos seis meses, empreguei o melhor dos meus esforços, apoiado por uma equipe de extrema qualidade para pensar a política cultural brasileira.

Saio do Ministério da Cultura com a tranquilidade de quem fez tudo o que era possível fazer, frente os desafios e limitações com os quais me defrontei. E que o fez de maneira correta e proba.

Respeitosamente,
Marcelo Calero Faria Garcia

Veja também:  Ambientalistas promovem ato de protesto em frente ao consulado do Brasil em Nova Iorque

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum