Fórum Educação
31 de outubro de 2019, 19h31

Ministro de Macri repudia ataque homofóbico de Eduardo Bolsonaro a filho de Alberto Fernández

Em entrevista à rádio argentina La Red, Jorge Faurie, titular da pasta de Relações Exteriores da Argentina, declarou que o governo Macri não discrimina pessoas por “ideias, pensamentos ou sexo”

O ministro de Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Apesar de adversários nas eleições presidenciais da Argentina, o governo de Mauricio Macri se solidarizou com Alberto Fernández, em relação ao ataque homofóbico de Eduardo Bolsonaro a Estanislao Fernández, o filho do vencedor do pleito e presidente eleito.

Jorge Faurie, ministro de Relações Exteriores da Argentina, enviou uma carta a Sérgio Danese, embaixador brasileiro no país vizinho, repudiando a conduta do filho de Jair Bolsonaro, classificando as críticas como “inapropriadas”.

Em entrevista à rádio argentina La Red, Faurie declarou que o governo Macri não discrimina pessoas por “ideias, pensamentos ou sexo”.

Nesta terça-feira (29), Eduardo compartilhou um tuite com uma foto dele e uma do filho de Fernández vestido como uma drag que. A legenda “comparava” ambos: “Filho do presidente da Argentina / filho do presidente do Brasil”.


Resposta

O próprio Estanislao já havia respondido a Eduardo, dizendo: “Eu não busco chegar a nenhum cargo em nada ou nada nesse estilo. Se estão acostumados a esse tipo de família de políticos no mundo, eu sinto muito, não sou assim”.

Em seguida, mandou um recado aos brasileiros, em português. “Irmãos brasileiros, estamos juntos nessa luta. Os amo. Muita gente do Brasil começou a me seguir, então quero dizer à comunidade LGBTTTIQQA+ mais ‘aliades’ do Brasil que estamos juntos nesta luta. Lembrem-se de que o amor sempre vence o ódio e entre nós temos que cuidarmo-nos sempre”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum