Molon pede investigação sobre uso da EBC para promover Bolsonaro durante jogo da Seleção

Deputado do PSB do Rio de Janeiro acionou MPF e TCU, baseado no “abraço” enviado pelo narrador André Marques durante jogo entre Peru e Brasil, pelas Eliminatórias da Copa

O deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) entrou nesta quarta-feira com dois pedidos, um no MPF (Ministério Público Federal) e outro no TCU (Tribunal de Contas da União) para que se investigue um possível uso da TV Brasil para promover o presidente Jair Bolsonaro.

O principal alvo do pedido é o “abraço especial para o presidente Jair Bolsonaro”, enviado pelo narrador André Marques e pelo comentarista Márcio Guedes durante a transmissão que o canal estatal fez da partida entre Peru e Brasil pelas Eliminatórias da Copa de 2022 – que terminou com vitória brasileira por 4×2.

Na solicitação, Molon explica que o caso faz com que o secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten, e o presidente da EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), Glen Valente, sejam suspeitos de improbidade, e deveriam prestar esclarecimentos.

“É preciso investigar o uso pelo governo federal de um canal público para fazer autopromoção, como aconteceu durante a transmissão da partida de ontem”, afirmou Molon, em entrevista com o jornalista Guilherme Amado, da revista Época.

Após o “abraço” do narrador Marques, o comentarista Marcio Guedes seguiu com a amabilidade para com o mandatário, lembrando que “o presidente torce para o Palmeiras, em São Paulo, e para o Botafogo, no Rio”.

O assunto bombou nas redes sociais com muitas críticas de internautas. A maioria questionou que tal situação seria repudiada pelos bolsonaristas e direitistas em geral se fosse um abraço para Lula ou Dilma durante os governos petistas.

Além disso, no intervalo do jogo, a TV Brasil deu enorme espaço para Jair Bolsonaro divulgar seu projeto de carteira de trânsito, e o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, também apareceu, falar sobre seu esforço no combate às queimadas do pantanal”.

Reveja a cena do “abraço” para Bolsonaro:

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).