Morador de rua morre de frio no centro de SP

Centro de Previsão de Tempo prevê nova onda de baixa temperatura para os próximos dias; 12 pessoas já morreram de frio este ano

Um homem em situação de rua foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (19) no Parque Dom Pedro II, região central da cidade de São Paulo.

A principal suspeita é que a morte do homem tenha sido causada pelo frio.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a PM foi acionada por volta das 5h40.

Mas, antes da chegada da Polícia, uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) já tinha prestado atendimento e constatado a morte do homem.

A principal suspeita da morte do homem em situação de rua é o frio, mas, segundo a SSP, apenas o serviço médico-legista é que pode confirmar a causa do óbito.

Em todo caso, a madrugada de domingo para segunda registrou temperaturas entre 5° e 8° graus.

Além disso, segundo dados do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos o restante da semana deve voltar a registrar temperatura baixa.

Por exemplo, para esta madrugada a previsão é de mínima de 7° e máxima de 15°. Entre esta quarta-feira (21) e o próximo sábado (24) a mínima deve ficar em 10° e a máxima em 20°.

Publicidade

Por fim, o começo de julho foi marcado por 12 mortes de pessoas em situação de rua causada pelo frio.

Notícias relacionadas

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR